O Papa é pop

Com a fé não costuma falhar.

Amanda Oliveira via Compfight

Todos falaram do Papa durante sua visita ao Brasil, muitos continuam falando. Já ouvi gente elogiando muito, textos muitos bons sobre o exemplo que ele está dando, sobre sua vida. Já vi muita gente criticando ele, a igreja, o evento, a bagunça, o governo. Teve santa sendo quebrada, algo bem triste, teve gente falando que o papa é marketeiro.

Posso dizer uma coisa então? Estou na torcida pro marketing desse senhor simpático que lembra meu avô espanhol dar certo. Dar tão certo que a gente comece a praticar mais amor, mais respeito, mais doçura e mais acolhimento.

Que a gente possa olhar o diferente de forma calma, que a gente possa admirar uma pessoa independentemente da religião, partido, cor de pele ou jeito que se veste.

Que a gente possa enxergar qualidades e baixar a voz, baixar o tom, ficar menos defensivo.

Porque, gente, está difícil continuar acreditando que os bons são maioria em meio a tanta intolerância – e de todo lado, mesmo daqueles que clamam por tolerância quando é com eles. Está difícil acreditar que tudo ficará bem quando todo mundo aponta tanto o dedo pro outro, pouco importa qual opção ou condição de vida. Tem dias em que é difícil manter a tal esperança que é a última que morre.

Eu sei que muita gente acha que revolução só se faz quebrando coisas e falando alto e eu até concordo que faz parte, mas também acho que a gente pode aprender pelo exemplo, que uma corrente do bem (sim, que nem naquele filme de que a maioria não gostou e eu adorei) pode acontecer de verdade.

Se a gente tentar ter empatia, se a gente realmente se colocar no lugar do outro.

******************

Texto de Cora Ronai compartilhado por ela em seu Facebook:

Considero as religiões organizadas o grande flagelo do mundo. Ao longo dos milênios, elas têm feito mais mal do que bem à humanidade, com suas mensagens de atraso, segregação e intolerância. 

Às vezes, porém, deste meio corrupto brotam uns raros homens de bem, genuinamente interessados no bem estar dos seus semelhantes.

Acabo de assistir à entrevista que o Papa Francisco deu ao Fantástico. Questões religiosas à parte, não me lembro de ter ouvido nenhum líder religioso ou chefe de estado falar com tanto bom senso, humanismo e inteligência.

Longa vida a este homem digno, que não desonra a sua fé.

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/07/fantastico-exibe-entrevista-exclusiva-com-papa-francisco.html

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Um comentário em “O Papa é pop”

  1. Rita
    Rita 01/08/2013 em 10:36 am

    Olá, Simone!
    Adorei o seu texto! O Papa é mesmo um exemplo, no Brasil ele falou sobre vários pontos importantes, até mesmo sobre homossexualidade, de forma tão lúcida e serena. Exemplo de amor e respeito!
    Rita

Deixe seu Comentário