Criminal Minds: Blue Angel (13×03)

“Crueldade, como qualquer outro vício, não precisa de motivação além de si própria. Apenas requer oportunidade.” – George Eliot

Gostei do fato de termos Matt no centro da história, isso ajuda e muito a nos acostumarmos com o personagem. Eu já havia dito que o fato de já o conhecermos da outra série era bom, ainda mais considerando que tivemos péssimos dias na temporada passada e ainda não absorvemos a partida de personagens queridos nem nos apaixonamos pelos novos, e o fato de o vermos em família faz bem ao coração.

Ainda mais porque precisamos de uns momentos de felicidade para aliviar a tensão.

Ainda mais quando vemos um caso como o desta noite, sem direito a final feliz. Sim, eles pegaram o bandido antes que ele matasse mais pessoas, mas o estrago que ele causou na vida da própria filha não será apagado tão facilmente.

Espero, de verdade, que ela acredite em Matt e que ela muda o seu caminho. Talvez a escolha dela de se tornar uma prostituta e não se ligar a ninguém para valer estivesse relacionada ao que ela se lembrava de seu pai ou, ainda, justamente pela falta que ela sentia de pedaços de sua história. Crescer em meio a tantas mentiras e segredos não faz bem a ninguém.

Agora, gente, jura que ninguém da polícia vai dar uma passada por aquela fraternidade onde as “inocentes” garotas criaram um serviço de acompanhante para complementar a renda?

P.S. Hummmm, ao que parece Luke derrubou de vez as barreiras com a Penélope. Sim, já estou torcendo pelos dois. #teamluke

P.S. do P.S. Reid hoje 100%, nada de problemas com o passado.

P.S. do P.S. do P.S. Torcendo para o AXN não ter invertido os episódios da série. Blue Angel seria o quarto da temporada, mas foi exibido antes porque a trama do terceiro estava relacionada a um tiroteio e ele seria exibido logo após o tiroteio de Las Vegas. Ele seria o episódio 280. O problema é que na página do canal consta a exibição do episódio 280 hoje, mas com outro nome, e na semana passada consta a exibição do 283 com este nome. Fui na sorte, já que não consegui assistir na TV na segunda passada.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Deu certo Simone, é este mesmo o episódio !
    Aleluia que todos os problemas do Reid foram resolvidos, gostei bastante da participação do Matt e me impressionou a quantidade de filhos que apareceu no final …. o rapaz trabalhou bem !

    Responder

  2. semana que vem o 1305 seria The Bunker mas eles exibiram Lucky Strikes no lugar. algo relacionado com o Shemar e Swat. o que eu acho bom porque ara mim o 1305 sendo Lucky strikes é um dos melhores episódios da temporada 13 até agora.
    Também estou no #TeamLukeGarcia já que os anteriores nao deram em nada.
    Derek e Garcia e Hotch e Garcia não deram em nada.

    Responder

  3. Eu gosto do personagem Matt; ele foi uma boa aquisição para a UAC e para nós, fãs da série. Eu acho o ator que dá vida ao Matt muito bom. Eu não cheguei a assistir Criminal Minds Beyond Borders, mas eu me apaixonei por Matt à primeira vista, já em Criminal Minds, a série mãe.

    Eu também adorei ver um agente especial do FBI carregado de filhos e amando uma esposa há 10 anos, sem draminhas pesados e sabendo equilibrar a vida de trabalhador com a vida de homem apaixonado e pai de família. A cena dos filhos se jogando sobre os pais, na cama do casal, foi linda e reconfortante. Faz-me pensar que há uma leve esperança de que os agentes serão mais felizes, daqui por diante. Eu quero tanto o bem destes personagens tão queridos, que eu sonho com uma vida mais equilibrada e com momentos inesquecíveis, para eles, por estes momentos serem alegres, mais positivos. Ninguém merece viver só da caça aos monstros! Ninguém merece ser viúvo ou divorciado, toda hora, a cada temporada! Chega, né? Chega!

    E este meu pensamento tem tudo a ver com o seu segundo P.S., Simone: Reid recuperando-se, pouco a pouco da perda de Maeve, do “retiro”, na cadeia e de tantas outras infelicidades. Eu amo este geniozinho! Depois de Spock, de Jornada nas Estrelas, a série clássica, claro, o Reid é minha segunda potência intelectual predileta.

    Tomara que as coisas fluam muito bem, nesta 13ª temporada, e Criminal Minds sobreviva muito bem sem Thomas Gibson; com uma vida longa para os novos personagens; com uma Emily Prentiss, cada vez melhor, na chefia da UAC, e com os criadores, produtores e roteiristas um pouco mais doces e cristãos com os integrantes da UAC. Ah, seria ótimo também, se os atores ajudassem e não aprontassem….

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *