Marvel – Inumanos ganha adaptação em série com tecnologia IMAX

Como tudo que leva a palavra “Marvel” antes ou depois do nome do produto a adaptação de Inumanos, história em quadrinhos criada por Stan Lee e Jack Kirky, para uma série de TV ganhou torcidas a favor e contra apaixonadas em mesma medida assim que foi anunciada. O fato da série ser gravada com câmeras de tecnologia IMAX e das primeiras imagens ficarem aquém do que se acreditava poder ser feito apenas aumentou o barulho.

Elenco escolhido – Anson Mount como Raio Negro, Serinda Swan como Medusa, Iwan Rheon como Maximus, Ken Leung como Karnak, Eme Ikwuakor como Gorgon, Mike Moh como Triton e Sonya Balmores como Auran – a missão de satisfazer fãs apaixonados na produção ficou com Scott Buck (também produtor/showrunner de Everybody Loves Raymond e Six Feet Under) e o diretor Roel Reiné (que pode ser considerado um novato, tendo dirigido alguns episódios de séries menos famosas e vários vídeos de divulgação), responsável pelos dois primeiros episódios que será exibidos no cinemas antes da estreia na televisão.

Nos quadrinhos os Inumanos são o resultado de experiências realizadas por alienígenas que modificaram o genes humanos, fazendo com que estes desenvolvem-se “poderes” especiais, se separem dos demais humanos em uma cidade própria – construída na Lua – liderados por uma família real e em um rígido sistema de castas: quando maior o poder do inumano, mais alto ele está nesta sociedade.

Nos quadrinhos os personagens transitaram por diversos universos, aparecendo pela primeira vez como coadjuvantes do Quarteto Fantástico, e chegaram a viver conflitos com os X-Men.

A família real da série de televisão é a mesma dos quadrinhos:

Raio Negro: o rei dos Inumanos não fala normalmente porque o efeito do som de suas cordas vocais é devastador. Além disso, tem a capacidade de voar, manipula elétrons e partículas, sendo um dos mais poderosos do Universo Marvel.

Medusa: é esposa de Raio Negro e seu poder está em seus longos cabelos que ela usa como quer, inclusive como arma. Medusa, na verdade, tem sido a maior causa de reclamações por parte dos fãs, que acreditam que seu visual ficou bastante falso. No bate papo que tivemos com Reiné na segunda, ele explicou que este tem sido mesmo o maior desafio da equipe. As imagens que vimos na tela IMAX já eram melhores do que as divulgadas anteriormente, mas eles continuam trabalhando para melhorar isso e buscar um efeito mais natural.

Maximus: irmão de Raio Negro e cunhado de Medusa nos quadrinhos tem poderes inumanos relacionados a telepatia e manipulação mental, nas cenas que vimos parece que ele não os tem, sendo apenas humano. Por isso ele também enfrenta preconceitos dentro desta nova sociedade. Ainda que seja apontado por muitos como um vilão, e as cenas dos primeiros episódios mostram isso, ele tem causas que são válidas, principalmente com relação ao sistema em que eles vivem. Além disso, ele não esconde que tem sentimentos pela cunhada.

Karnak: é um dos poucos inumanos não submetidos a Névoa Terrigêne, sendo um mestre das artes marciais e um dos maiores lutadores do Universo Marvel, é capaz de encontrar o ponto fraco de qualquer coisa, seja material ou abstrata.

Triton: irmão de Karnak, é um inumano anfíbio que possui força, resistência e agilidade aumentadas.

Crystal (Cristalys): irmã de Medusa e prima de Raio Negro, possui poderes elementais, baseados nos quatro elementos primordiais: terra, fogo, água e ar (seu visual lembra muito o dos índios americanos).

Gorgon: primo de Raio Negro, Medusa, Karnak, Cristalys e Triton, possui cascos nos pés e aparência de sátiro e provoca terremotos apenas batendo seus pés contra o solo.

Dentinho: o mascote da família também foi exposto a terrigênese e tem a habilidade de teletransportar a si mesmo a outras pessoas.

Nas cenas que nos foram mostradas percebemos que a ideia dos primeiros episódio é mostrar esses personagens e, também, nos introduzir no dilema que vivem hoje: na Terra novos inumanos começam a surgir e Raio Negro decide que eles devem ajudá-los, enviando uma missão. O problema é que ela não sai conforme o planejado, eles não tem certeza se o enviado ainda está vivo e Maximus ainda levanta o problema de a cidade hoje não comportar nem a necessidade de quem já vive lá e não estaria preparada para novos moradores.

Claro, falar sobre quatro cenas soltas com opinião crítica é complicado – pelo menos para mim – e acho que a ideia de mostrá-las no cinema, no formato que foram feitas para serem vistas, serve mais para que possamos entender o que a tecnologia permite e disso sim podemos falar.

Falar de como é legal ver gostas de águas perfeitamente definidas pulando pela tela quando uma poça é pisada ou de como a fotografia excepcional casou com a paisagem do Hawaii, onde as cenas foram gravadas. Do outro lado, você estranha um pouco a claridade das cenas no ambiente de cinema. Reiné explicou que foi uma opção proposital e isso não é necessariamente ruim. De cara eu pensei em um visual anos 70 e pensando que os inumanos se separaram de nossa sociedade e seguiram para a lua justamente por volta desta década, bem, eu acabei achando a escolha bem adequada.

Também vimos a cena completa cujo finzinho aparece no trailer, com Medusa usando seu cabelo contra o cunhado (já bem superior as cenas da personagem no primeiro trailer).

Infelizmente faltou ter mais Dentinho nas cenas exibidas – vocês aí estão todos curiosos com o cabelo da Medusa e eu só consigo pensar no cachorro, vejam como são as coisas.

Estas cenas compõem os dois primeiros episódios, que terão um corte diferente para o cinema e uma história com começo meio e fim, sendo exibidos como um filme, e para a TV. Não somente isso, a tecnologia IMAX permite uma “grandiosidade de imagem” que acabaria morta na TV e provavelmente até atrapalharia um pouco, então toda essa adaptação também será feita.

Não, ainda não se sabe como a série irá se relacionar com os demais produtos Marvel, sejam os filmes no cinema, seja a série Agents Of Shield. Por enquanto os personagens estão sendo apresentados, esta primeira temporada, de dez episódios, será somente deles e dos problemas característicos de seu universo.

Outro detalhe importante é quando o diretor diz que as tramas serão mais sobre as relações e dramas destas pessoas que sobre cenas de ação – ainda que a gente adore cenas de ação. Reiné dirige apenas os dois primeiros episódios, mas o ritmo ditado por ele é o que será adotado pelos diretores responsáveis pelos demais.

Ficou curioso? Bom, eu fiquei. Achei a sacada de tornar os dois primeiros episódios um filme com história completa muito boa – até ali eu ficava pensando o que levaria alguém a ir ao cinema para assistir algo que em seguida estará na televisão. E os efeitos especiais me convenceram como um segundo bom motivo.

No Brasil a estreia nos cinemas será em 31 de agosto e o restante da série será exibido pelo Canal Sony, que hoje já é a casa de Agents Of Shield.

 

P.S. E a escolha de uma música chamada Human (Rag’n’Bone Man) para o trailer? Adorei.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *