The Blacklist: Miles McGrath (No. 65) (4×03)

Duas coisas:

  1. Cheguei a pensar que tinha selecionado a série errada no NOW quando logo dei de cara com o ator que fazia/faz um maluco em Quantico. Parei e fui ver se tinha selecionado certo.
  2. KAPLAN ESTÁ VIVA! Ops, desculpem a falta de jeito, mas episódio acabado, mesmo com outra bomba jogada pelo Red, e eu só consigo pensar nas consequências do Red não ter tido a coragem de checar se realmente havia matado sua ex-amiga. O que ela fará agora? Ou ele fez de propósito? Porque um lado meu não consegue imaginar o Red errando aquele tiro.

E a bomba na verdade nem devia surpreender ninguém a esta altura: como eu, e o Ressler, falei, Alexander Kirk não teve nenhuma atitude paternal nessa sua busca por Liz e Agnes e a explicação de Red nos diz que estávamos certos. Kirk está a procura de um corpo doador de sangue perfeitamente compatível com o dele, só isso.

Aquele momento em que você só consegue pensar: que ela seja filha do Red, que ela seja filha do Red. Já imaginaram a cara do Kirk ao tentar usar o sangue da Agnes e descobrir que ela na verdade não é neta dele? Eu fiquei pensando isso desde o momento em  que Liz lê o trecho do diário e as cenas do passado nos mostram que talvez a mãe dela quisesse escrever alguma outra coisa naquela página.

E Red também tomou todo cuidado com as palavras, dizendo que “acredita que” ao invés de simplesmente dizer que Liz é filha de Kirk.

Miles McGrath mostrou Red na perseguição de Kirk, seu objetivo de vida atual, e que Liz não foi somente não perdoada pela Navabi, mas  próprio Red não está sabendo lidar com o que sente no momento – e não saber lidar pode ser uma boa explicação por ter falhado em matar a senhora Kaplan.

McGrath foi apenas o meio, mas acabou rendendo mais uma daquelas cenas perfeita de Red naquele bar.

Agora, imaginem você um trem carregado de vírus dos mais diversos e dos mais mortais. É de tirar o sono da gente, não é não? Eu entendo que existam centenas de procedimentos de segurança para isso, mas eu confesso que não me sinto segura com nenhum dele. E olha que eu sou uma pessoa super sensata, que sabe que eles precisam ser mantidos porque podem ajudar em crises futuras e coisa e tal, mas meu lado covarde preferiria que todos fossem destruídos. Mesmo.

Destaque para o Tom. Quem diria que depois de eu achar ele tão chato no passado, ele pudesse levar tão bem o papel, não é mesmo? Ele se saiu realmente bem infiltrado, só faltava o pessoal do FBI desenvolver uma tecnologia melhor de rastreamento.

P.S. Só eu imagino Aram querendo se matar depois de Navabi desligar aquele telefone?

Músicas do Episódio

You’ve Got What I Like – Christopher Blue

Bongo Fury – Shawn Lee

Fill Your Brains – Harrison Brome

Rock-a-bye Baby (feat. Megan Boone) – The Blacklist Cast (música do promo)

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *