NCIS New Orleans: How Much Pain Can You Take? (1×22)

Eu nem sei dizer o quanto fiquei chateada pelo LaSalle neste episódio. É o meu lado romântico eternamente frustrado pela “desgraceira” que se espalha pela vida amorosa/familiar desse pessoal das séries policiais.

Acabo de perceber que estou fadada a frustração: amo séries policiais quase que em mesma medida que sofro com a tragédia pessoal de seus personagens.

NCIS New Orleans How Much Pain Can You Take 1x22 s01e22

Além do mais, a perseguição a Baitfish já era bastante pessoal, não dependia de mais esse evento trágico para impulsionar Pride na busca por justiça. Na verdade: alguém achou que, apesar da tristeza pelo que aconteceu com Savannah, Pride ainda estava mais motivado que LaSalle?

Isso talvez seja explicado por Pride se sentir culpado pelo ocorrido, já que ele sempre foi o alvo de Baitfish.

Pois bem, depois de toda a frustração e urgência que tivemos na busca pelo assassino, tivemos a verdadeira jogada do episódio: a vingança pessoal de Baitfish estava longe de ser o maior problema da cidade, algo maior está vindo e algo me diz que talvez seja o verdadeiro motivo de nosso amigo Hamilton ressurgiu depois de vários episódios sem aparecer.

Talvez sua “bondade” em ajudar na captura de Baitfish estivesse relacionada ao mesmo interesse de Sasha: garantir que o assassino não tivesse a chance de contar qual é o tal grande plano para a cidade.

Ao que parece as coisas ficarão bem complicadas hoje a noite no final da temporada, não é verdade?

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Porque os policiais não podem ser felizes, roteiristas? Poxa vida é só aparecer um casal bacana, pronto acontece uma tragédia. Sei que às vezes isso dá gás a história, mas há outras maneiras de se escrever um bom roteiro.

    Responder

Deixe uma resposta