Chicago Med: Fallback (1×03)

Definitivamente um dia difícil no pronto socorro do Chicago Med, não é verdade? E eu confesso que tenho especial aflição com episódios médicos em que aparece alguém com algo atravessado no corpo, então multiplique por dez o que você sentiu quando o amigo Rhodes estava ali, numa boa, admirando a tal “obra de arte” em vidro.

A gente sabia que a coisa não ia acabar bem e até desviei o rosto quando o pessoal gritou que a corda tinha arrebentado.

Chicago Med Fallback s01e03 01x03 Rhodes

E o estrago foi tanto que temos de dar estrelinhas extras aos bombeiros da cidade porque eu não faço ideia de como eles conseguiram cortar aquilo sem mexer na parte que estava dentro do corpo da vítima.

E para aumentar o drama – como se fosse necessário – temos a presença da irmã e do pai de Rhodes no hospital, a primeira ressentida porque o irmão partiu e a deixou para trás (deixo claro que acho que a pessoa escolhe ficar para trás) e o segundo louco para prejudicar o filho.

Simplesmente sou incapaz de entender um pai assim e estou naquela fase da vida que nem quero saber mais a história dos dois, se o Rhodes podia ter feito algo diferente, eu quero mesmo é que esse senhor leve outras porradas da vida como Sharon Goodwin deu.

E se você perdeu o fôlego não vá ainda: tivemos Halstead tentando amenizar a mancada que deu com a Natalie no episódio passado porque estava nervoso, o que resultou na bonita história da violinista que perde a audição. Eu ainda não tinha me decidido sobre como me sentia pela Natalie, acho que rolou muito mimimi por causa dela nos dois primeiros episódios, mas ela deu um show ao explicar para a paciente de que a música mexe muito mais que com nosso ouvido.

Por último, mas não menos importante, tivemos o paciente que estava sendo “envenenado” pela esposa para que ele fosse dispensado do exército. Fiquei feliz por ele ter ficado ao lado dela no final, essa é uma daquelas situações impossíveis em que você não consegue realmente olhar para a pessoa que cometeu o erro, ainda que intencional, e julgá-la culpada.

P.S. Estudante de medicina com dificuldade com agulhas sendo ajudada pela enfermeira, quem é fã de ER aí e sofreu de dejá vú?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta