NCIS: Stop the Bleeding (13×01)

Depois de 13 anos de janela a gente entende que não seja fácil fazer algo totalmente novo. Então, sim, já tivemos Gibbs a beira da morte, já tivemos Gibbs a beira da morte, já tivemos Gibbs vendo Mike enquanto está a beira da morte, já vimos Gibbs relembrando sua filha quando enfrenta algo assim.

Mas eu não lembro de termos um Gibbs tão desesperançado como o que tivemos aqui e isso me deixou desconfortável por boa parte do episódio. Mesmo eu sabendo que ele sobreviveria.

Talvez eu também tenha ficado incomodada por não ter comprado devidamente desde o início essa trama do terrorista usando da tecnologia para simplesmente causar o caos – dêem um desconto pelo meu trauma com Bones e Pelante -, aquela dificuldade de criar um vilão que não seja caricato, que nos assuste verdadeiramente.

Agora, deixando meu próprio desconforto de lado, foi interessante ver Jon Cryer como o doutor Ciryl Taft, médico que salva Gibbs do tiro de Luke e que deve aparecer em outros episódios da temporada.

Cryer passou tanto tempo fazendo o perdedor Alan de Two And A Half Men e a fase final da série foi tão horrível que foi ótimo vê-lo saindo daquele papel e nos entregando um médico com seu próprio tanto de escuridão e dor, mas que ainda assim parece ter entendido essa escuridão e não deixá-la dominá-lo, e que serviu de contraponto para Gibbs, até porque será agradável vê-lo se aproximar de alguém, já que nos últimos tempos ele parece ter desabafado apenas com os amigos mortos…

NCIS Stop The Bleeding s13e01 13x01 Gibbs Taft

O bom é que o episódio conseguiu dar um final satisfatório para a trama iniciada na temporada passada.

Ainda que Gibbs não tenha exatamente encerrado isso dentro de si mesmo, se culpando por ter acreditado em Luke.

P.S. SPOILER Talvez o fato de eu já estar totalmente deprimida pela anunciada saída de Michael Weatherly da série tenha estragado boa parte da experiência com o episódio. Confesso que por mim a série acabava nesta temporada mesmo. Porque junta um Gibbs deprimido e um Dinozzo indo embora e eu não consigo imaginar um futuro feliz.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. NCIS se perdeu nessa necessidade de ter um terrorista pra chamar de seu em cada temporada, já tá chata essa história do Mike, e sem o Dinozzo, que pra mim já tinham estragado o personagem com aquela histórinha com a Ziva (não gostava da Ziva), o melhor caminho seria o fim, mas é capaz que ainda vão fazer a saída do Dinozzo no estilo do final do CSI, e ai vai ter mais um fantasma para o Gibbs.

    Responder

  2. realmente o Gibbs estava muito deprimido mas ele voltou tão lindo com esse corte de cabelo e com uma leve mudança no traje que só suspirei …

    durante 12 temporadas quando a trama envolvia crianças sempre tivemos o Gibbs sabendo lidar muito bem com elas, já era pra mim fato o poder do Gibbs conseguir melhorar a vida delas e assegurar uma confiança mútua, o que com esse menino Luke não ocorreu, o muleque enganou / fugiu e atirou a sangue frio no Gibbs além de quase explodir o Tony e a Joana, fica difícil encontrar esperança em atitudes destas numa criança em que todos do NCIS fizeram de tudo para ajudar

    e olha que qd o Tony consegue pegar o terrorista eu torci muito para que ele atirasse para dar cabo do desgraçado, até parece que baixou o santo da Ziva nele naquele momento, mas tb sei que isso trará consequências futuras

    podem me julgar mas fico imensamente contente em poder começar pela primeira vez a temporada de NCIS podendo escolher o audio 😀

    Responder

Deixe uma resposta