Elementary: Internal Audit (2×11)

É, ao que parece essa história do Bell ainda dar muitos frutos em Elementary: além do detetive ter de se acostumar com sua nova limitação, enquanto luta para melhorar, ele precisa decidir o que fazer com uma nova proposta de emprego. Afinal, se ele não melhorar, no novo departamento ele teria a chance de fazer trabalho mais inteligente, mas se ele melhorar, bom, o coração de um detetive da homicídios não ficaria satisfeito em não estar na ruas, não é mesmo?

E Sherlock também precisa conviver com suas escolhas. Eu imagino o quanto é terrível para alguém que nunca aceita estar errado ter de admitir que um gesto seu quase matou outra pessoa – porque Sherlock é frio, mas não insensível – ainda mais quando a pessoa afetada não lhe perdoa.

Elementary: Internal Audit (2x11)

Já o caso da noite não teve nada de surpreendente: a morte de um homem envolvido em pirâmides de dinheiro. A sacada seria o envolvimento de uma ex-cliente de Watson e com isso uma aura de mistério, mas aí que eu acabei super decepcionada que o envolvimento foi realmente por coincidência e nem mesmo o esforço de Watson para que a investigação pudesse continuar ser envolver a garota não justificou o investimento nisso.

Até porque a menina não queria seu passado revelado temendo perder o filho. MAS GENTE, ela está sóbria, o filho é dela, o pai está sumido no mundo, porque cargas da água alguém da justiça ia vir atrás dela por causa disso? Achei drama demais por pouco motivo.

O terceiro plot acabou sendo mais interessante: Sherlock como padrinho de alguém no NA. Eu realmente acho a ideia fascinante, apesar de não fazer a miníma ideia de como isso funcionará.

P.S. Nunca que eu ia prestar atenção nas tais bolinhas vermelhas na parede. Nunca.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta