The Following: Resurrection (2×1)

The Following ganhou uma improvável segunda temporada e, talvez em agradecimento, voltou contudo num episódio redondinho e eletrizante.

The Following: Resurrection (2x1)

Já sabíamos que Joe ainda estava vivo e eles não demoraram nada nada em nos confirmar isso, então resolveram nos surpreender colocando um grupo de seguidores do assassino homenageando o primeiro ano de sua morte sem que isso tenha sido planejado por ele.

Na verdade, a ideia de que o grupo tenha se separado em células independentes consegue ser ainda mais preocupante do que quando todos eram guiados por seus planos, afinal tem todo tipo de louco ali, um mais perigoso que o outro.

Claro que Ryan também não caiu no conto do assassino-suicida e tem trabalhado sozinho em encontrá-lo, apenas com a ajuda da sobrinha policial – personagem nova no pedaço e fico aqui pensando se o namorado dela é de confiança, porque aprendi a não confiar em ninguém nesse lugar.

Ele agora dá aulas e quer distância do FBI, mas a homenagem do pequeno grupo assassinando pessoas em um vagão de metro faz com que este acabe lhe pedindo ajuda. A ele e ao Mike, que agora também é considerado um especialista em Joe. Vemos que os dois foram investigados pelos fatos ocorridos no final da primeira temporada e que isso teve muito efeito sobre Mike – ele está afastado enquanto a investigação não termina e vamos concordar que um ano de espera é muito tempo.

O atentado consegue também chamar a atenção de Joe, escondido em um bordel, mas louquinho para perseguir Ryan novamente.

P.S. Claire mala morreu. Filho maninha agora vive com a avó bem longe de todo mundo.

P.S. do P.S. Se eu fosse Ryan não confiava nem nesse povo do AA que agora ele chama para jantar em casa.

P.S. do P.S. do P.S. Ryan é tipo super-herói né? Leva facada, tiro, cai, apanha, é atropelado e tá lá, vivinho da silva.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. eu jurava que o ryan só tinha uma irmã como único parente vivo
    o.O

    então fiquei surpresa e até desconfiada da existência de tal personagem … é trauma da 1a. temporada

    tirando isso … não tirando o fato do Rayan saber como os seguidos são escorregadiços, como ele não prendeu o cara antes de começar a interrogá-lo?

    viu ainda estou traumatizada !!!

    mas no final de tudo o episódio foi eletrizante, desceu redondinho mesmo, só acho que aquela mulher vítima no metro que ficou no hospital não será nada boa não … só acho

    e convenhamos, TODOS sabiam que o Joe estava vivo … sempre
    só o FBI que continua na sua cegueira

    Responder

    1. Então, ufa, achei que eu era a única! A desculpa que podem dar é que ela é filha do irmão que morreu e que vivia com a mãe afastada ou sei lá.

      Porque ele precisava ser torturado pelos gêmeos do mau? Nossa, medo desses dois!

      Responder

  2. Simone, estou aguardando seus comments do episódio 2. Mas preciso me adiantar e dizer que foi uma grande surpresa encontrar Dra. Tascione no papel de namoradinha do Joe.
    Se como advogada ela é meio cabeça de vento, (mas muito perspicaz), como namorada deve ser ainda mais cabeça de vento. Quando vi que era ela, fiquei rindo e em homenagem a TGW torcendo para que ela não morra, nem seja uma homicida serial!!

    Responder

    1. Muita calma nessa hora que eu nem assisti ainda – sexta foi dia de comemorar aniversário da mamys e eu perdi o episódio. Vou colocar as coisas em dia, pera aí.

      Responder

Deixe uma resposta