Outubro Rosa chega para nos lembrar da importância do diagnóstico precoce

outubrorosa1

Fui procurar nos arquivos do blog e este é o quinto ano em que participo, através do blog, da campanha do Outubro Rosa.

Nestes 5 anos participei de eventos, assisti a palestras, conheci mulheres vencedoras, li muitos artigos, pesquisas e livros. Aprendi que a campanha foi criada a partir do laço rosa dado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure aos participantes da corrida pela cura do ano de 1990, ganhando o mundo desde então.

Quando escrevi sobre a campanha pela primeira vez eu não conhecia ninguém que tivesse passado pela doença, hoje tenho duas amigas vitoriosas, entre doloridas sessões de radioterapia e nauseantes sessões de quimio.

Já falei sobre mamografia digital versus mamografia analógica, sobre monumentos iluminados, sobre o livro Força na Peruca, sobre a importância da lei que tornou coberta pela saúde pública a mamografia anual após os 40 anos e sobre os avanços na medicina que tem ajudado cada vez mais mulheres a enfrentarem a doença.

E sabe o que não mudou nesses anos todos? O diagnóstico precoce ainda é o maior trunfo nesta batalha.

Então trago de novo a imagem do Colar da Vitória, trazido em 2008 pela FEMAMA e símbolo da importância da mamografia: cada um de seus círculos simboliza os diferentes tamanhos de tumores do câncer de mama, sendo que até o terceiro nódulo, de 1cm, as chances de cura são de 95%. Só que um nódulo deste tamanho é imperceptível no auto-exame e no Brasil a maior parte dos tumores ainda é descoberta no exame físico do médico ou no auto-exame, não estando mais na fase inicial e em tamanho próximo ao círculo do centro do colar, exigindo tratamentos mais longos.

Então não bobeie: faça exames anuais completos, com a mamografia a partir dos 40 anos, discuta com seu médicos seus medos, o histórico familiar, seus receios. Se achar que algo está errado, não se sinta boba em perguntar.

E fique de olho:

Chamada do LuluzinhaCamp para a blogagem coletiva do Outubro Rosa
Avon coloca uma roda gigante cor de rosa em São Paulo
400 mamografia gratuitas serão realizadas na Zona Leste de São Paulo

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. Um pena que nem todas as mulheres tenham essa consciência ou o acesso às redes de saúde.
    Tive nódulos nas mamas quando tinha 19 anos, mas não era nada grave. Desde então faço mamografias anualmente, e incentivo todas as amigas e parentes a fazerem o mesmo.
    Já acompanhei de perto o tratamento da mãe de um amigo, como um exame preventivo e um diagnóstico precoce poderiam ter salvo a vida dela (na época com 42!!! anos).

    Responder

    1. Debora, acho que essa é uma contribuição válida e sem preço: levar informação.

      O Outubro Rosa acaba sendo rico por isso: por mais que seja apenas um mês, ver bastante gente falando sobre o assunto, ver um monumento cor-de-rosa chamando a atenção pode ser a diferença entre esperar demais e descobrir no momento certo.

      Responder

  2. No Second Life a campanha está sendo muito bem divulgada e compartilhada. Abraçamos essa nobre causa da prevenção do câncer de mama no estilo 3D, com avatares vestindo a camisa da campanha, propagando pelos quatro cantos do mundo. Proteja quem você ama começando por você mesma. Contamos com a participação da Foundation Organization For Life. Estiveram presentes amigos e familiares.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *