Person Of Interest: Triggerman (2×04)

Eu posso até ter feito as minhas reclamações da trama de Elias em Person Of Interest, mas aí você o vê jogando xadrez com Finch e, bem, não pode reclamar de mais nada.

E vale ser repetitiva no texto? Se não vale eu vou ficar sem ter o que falar porque eu tenho de repetir que Person Of Interest só melhora: elenco afinado, suspense, ação e seu tanto de diálogos afiados continuam fazendo minha alegria de fã.

E dessa vez ainda rolou aquelas viradas de história que só servem para nos deixar mais felizes: eles achavam que tinham de proteger alguém, depois que esse alguém era o bandido, já que trabalhava pra máfia, depois viram que ele estava protegendo uma moça então ele voltou a ser mocinho e no final, apesar do “bad code”, eu fiquei realmente com pena dele.

Um caso perfeito pra testar o que Sam ficou repetindo para Finch quando o mantinha preso: pessoas são ruins, tem um “bad code”. Aí que a gente descobre que o bandido se redimiu e fez de tudo, inclusive se sacrificar, pra proteger a moça e percebe que os humanos, ao contrário das máquinas, podem sim mudar.

E o segundo motivo pro caso funcionar: o envolvimento da máfia só serviu para que os dois tivessem de procurar por Elias que, como pagamento, pediu que Finch jogasse xadrez com ele. Garanto que aprenderemos muito sobre muita coisa com esses jogos.

P.S. Fusco e Carter estão se saindo uma ótima dupla de detetives.

P.S. do P.S. Feliz de Finch ir criando coragem pra sair de casa.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

12 Comentários


  1. Simone,
    sei que essa imagem está maravilhoso pois são 2 personagens icônicos mas jurava que vc iria colocar aquele sorriso maroto que o Reese fez no final do episódio … ohhhh coisa mais linda de se ver

    não tem como, seremos repetitivas pois a cada episódio tudo melhora e tudo é muito bom

    Responder

    1. Pensei demais no que ia colocar, mas não teve jeito: os dois pro post, o Reese pros meus sonhos.

      Diga-se: acho que tô devendo um colírio do moço…

      Responder

  2. Simone, pode ser repetitiva o quanto você quiser. Eu amo essa série. E sim, DEVE fazer um colírio urgente, ele é tudo de bom.

    Responder

  3. Oi Simome, concordo com vc, Person of Interest tem ficado cada dia melhor, não tem como não ser repetitiva e a cada episódio vir elogiar a série!

    Eu gostei muito que no final o Finch percebeu que bad code só serve pra máquinas, não pra pessoas. Se não ele ia começar a dar razão pra louca da Root.

    Responder

    1. Sim, eles jogaram muito bem porque a história com a Root ainda era recente e mexe bastante com Finch, então eles vem e já mostram a exceção. 🙂

      Responder

    2. Pois é, até porque seria incoerente Finch pensar radicalmente que as pessoas são “bad code” já que ele acreditou em Reese, que também já foi um assassino, mata pessoas para o Governo.

      Responder

  4. ELIAS E Finch CONVERSANDO E JOGANDO, EU DIGO, QUE VENHAM OS MAIAS… JÁ IMAGINOU O QUE VAI SAIR DESSAS DUAS CUCAS GENIAIS? VIXI, AINDA USAM CUCA PARA CÉREBRO? KKKKKKKKKKKK – PERCEBERAM COMO ELIAS É TRATADO COMO UM REI NO PRESÍDIO? ACHO QUE QUANDO ELE ESTIVER ENTEDIADO DE ESTAR ALI, VAI, SIMPLESMENTE ESCAPAR. ADORO O ELIAS E NEM QUERO QUE ELE SE TORNE BONZINHO, O CONTRÁRIO DA VÍTIMA DA VEZ.

    GOSTEI DA REFLEXÃO DEIXADA, SOMOS CAPAZES DE MUDAR? JHON SE VIU NA PELE DO MAFIOSO… MUITO LEGAL, MESMO.

    PARA MIM, TUDO FUNCIONA NA SÉRIE… NESSE ESTILO, É A MINHA FAVORITA.

    Responder

Deixe uma resposta