Grey’s Anatomy: Love the One You’re With (9×03)

Confesso gente: ando numa preguiça enorme de escrever sobre Grey’s Anatomy. E olha que esse episódio já foi melhorzinho, com o pessoal voltando a ser adulto – pelo menos uma parte deles.

E por gostar do povo voltando a ser adulto é que duas tramas em especial merecem elogio: primeiro Derek avaliando realmente o que espera da solução da investigação do acidente (não é vingança, não é indenização, até porque nada paga a perda de seu melhor amigo ou da sua irmã) e Cristina baixando a guarda e se permitindo aprender algo novo (mesmo tendo de ser forçada a baixar a guarda).

Porque, até aqui, a única que vinha agindo como adulta era a Callie e eu reconheço a importância da personagem no começo desta temporada: ela se manteve forte, ela se manteve ativa, ela chorou sua perda, mas continuou em frente. Por conta disso, porque pela Arizona é que não dá pra torcer, eu torço para que a cena do banheiro (muito boa, por sinal) seja a mudança de curso para o que estava acontecendo com a pediatra.

Do outro lado, eu falaria de Bailey: ela também está precisando voltar a ser adulta porque reduzir uma das melhores personagens a uma reclamona que ao invés de operar fica limpando o microondas é demais pra minha pessoa.

E, pra não esquecer, a gente fala de Cristina: tudo sobre ela neste episódio foi bom. Sua relação com Owen (fica claro que ainda existe amor e que eles não querem perder isso, ao mesmo tempo eles sabem que não dá pra forçar algo, então fica subentendido que precisam de tempo), ela abaixando a cabeça e aceitando o que foi imposto pelo chefe do hospital, ela reconhecendo o valor de estar aprendendo algo novo com o velho médico (duas vezes: na sala de cirurgia e no banco em frente ao hospital) e ela sorrindo. Nossa, como foi dolorido finalmente soltar um sorriso, não é mesmo?

E é por isso, apesar de tudo, apesar do medo da onde essa coisa vai parar e apesar da preguiça de que falei no início, reconheço que esse foi um bom episódio. Na verdade, acho que a temporada começa a valer agora, não é não?

P.S. Vibrei muito com o pessoal mandando a psicóloga calar a boca.

P.S. do P.S. Ainda não sei o que o acho da história de April e Avery.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Eu simpatizo com April e Avery. Mas acho que isso é porque simpatizo com ele, gosto do personagem – a forma como ele se manteve ao lado do Mark nos últimos momentos é um exemplo.
    Derek e Callie são os melhores personagens desse início de temporada. Só não tô com nenhuma paciência com a Cristina, que vai ter um caso com o chefe dela, mais uma vez.
    E acho que a Meredith está levando a morte da irmã muito tranquilamente…

    Responder

Deixe uma resposta