Bones: The Blackout in the Blizzard (06×16)

A carinha do Booth, olhando por aquela janela, para aqueles bancos de estádio, não podia significar pouca coisa. Adora enxergar dele essa coisa de menino ainda, de inocência. Um contraposto ao Booth ranzinza da semana passada, uma amostra de que as coisas começam a voltar ao normal. E o final do episódio deixa isso ainda mais claro, quando Booth demonstra para Brennan de que ainda existe sentimento ali, mas que ele precisa de um tempo para deixar a raiva passar.

E, por mais que eu adoro Sweets, ele deveria saber disso ao invés de tentar impor ao quase casal que saiam falando de seus sentimentos. Não é simplesmente: Hannah fora, já passou, voltemos a programação normal, não é mesmo?

Do outro lado, não fosse Sweets forçando a barra, a história deles presos no elevador funcionou bem demais. Booth contando de sua única história feliz com seu pai, depois aceitando que eles precisariam quebrar aquele jogo de bancos. Mesmo a desculpa-não-desculpa que ele pediu ao Sweets – “nós somos cara, Bones!” – e Sweets com aquela toquinha ridícula, tudo funcionou bem ali.

Agora, vamos combinar, não fosse a gente gostar tanto de Booth e Brennan, a gente nem ia ligar para o que acontecia naquele elevador enquanto o povo do laboratório tem de trabalhar que nem o século passado por conta da falta de luz, não é não? Achei divertidíssimo a dupla de cientistas loucos tentando manter o celular ligado e acabando com aquele mini batata nas mãos. Excelente!

Excelente como Hodgins falando para Angela que o menino poderá ser um pianista, ao invés de um cientista, e de que eles serão felizes mesmo assim. Tão fofo!!! Torço para que os 75% predominem, mas sei que tudo dará certo, pouco importa o destino final.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Um dos melhores episódios pra mim. Como os roteiristas estão fazendo bem-feitinho a recolocação da Temperance de volta à vida sentimental do Booth.
    E os reis do laboratório sem luz & tecnologia século 21 com toooodo o instituto aka reservatório de conhecimento dos últimos dois mil anos à disposição. Enfim: quem é gênio é gênio, e a necessidade é a mãe da invenção, não é mesmo?
    Bjs

    Responder

  2. pois é os roteiristas está fazendo a parte deles com essa aproximação cuidadosa e Booth está calcando todos os passos para entrar em uma nova relação só precisam avisar a Brennan não fazer errado desta vez ou fazer uma baita besteira né !!!

    adoro todos os estágiários do Lab porém sempre existe a exceção, Daisy essa poderia ter ficado lá com os nativos e nunca voltar a civilização
    mas o Wendell é muito fofo 🙂

    Responder

  3. Muito bom este episódio!!!!!! A Bones dizendo que estava melhorando!

    O episódio de 3 feira vai ser legalzinho!

    Responder

Deixe uma resposta