Law&Order LA: Van Nuys (01×21)

Cada vez entendo menos o que aconteceu. Esse foi mais um episódio excelente, e mais um jogado no lixo pela NBC para depois fazer aquelas porcarias com o Dekker que andamos vendo quando o seriado voltou do hiato.

E olha que o comecinho do episódio não prometia muito, não fosse a reviravolta do caso com a descoberta de que tudo aconteceu porque o dono da produto de filmes pornográficos não quis colocar seu negócio em perigo (quem diria que o papai de Três é demais acabaria assim, né?).

Sim, soa exagerado, até mesmo absurdo um plano desse – invadir a casa de um mafioso apenas para garantir que este mandasse matar um monte de gente simples numa casa normal de Beverly Hills – ao invés de simplesmente mandar matar a garota, quem sabe fingindo um roubo que deu errado, mas depois de tantos anos de janela assistindo a seriados policiais, se tem algo que eu aprendi é que a mente criminosa não dispõe da mesma lógica que a nossa.

Ah, e eu adoro essas viradinhas que eu não pego antes de acontecerem, como o tal produtor acabar na cadeia por um detalhe tão pequenino como não ter informado à atriz sobre o resultado positivo de seu teste.

E achei bem “bonitinho” o Jaruszalski se apaixonando pela garota, a ponto de não desistir mesmo sabendo que ela era soropositiva. Acho que me apeguei ao detetive nesse tempo de série, além da surpresa de ver o ator imensamente diferente em Meia Noite em Paris, filme de Woody Allen, no papel de Ernest Hemingway bem atormentado. Dá uma olhada:

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

7 Comentários


  1. “Cada vez entendo menos o que aconteceu. Esse foi mais um episódio excelente, e mais um jogado no lixo pela NBC para depois fazer aquelas porcarias com o Dekker que andamos vendo quando o seriado voltou do hiato.”

    isso já diz tudooooo …. O.O

    Responder

  2. Pois é, os episódios “descartados” eram bem melhores que a nova roupagem que deram para a série! Mas que é bizarríssimo ficar vendo um detetive morto todo sassariquento nesses últimos episódios, é…:-)

    Responder

  3. Como já sabia que tinham cometido o absurdo de passar os episódios descartados após a morte do Winters, deixando a série completamente sem lógica, baixei todos os episódios e revi na ordem inversa, assistindo todos com o Skeet Ulrich e depois vendo os episódios produzidos após as mudanças.
    Engraçado como tudo foi jogado aos telespectadores, as duas promotoras sumiram sem uma palavra a respeito, a Alana de La Garza entrou sem a menor explicação, não houve encerramento para a trama do assassinato do Winters que eles chegaram a ensaiar uma suposta vingança do TJ, enfim uma boa série jogada no lixo.

    Responder

      1. Simone, acho que a tv americana tem muito menos respeito pelo telespectador do que a brasileira. Não lembro de novelas ou minisséries ficarem sem fim, podem até adiantar o final, darem um final ruim, mas não simplesmente deixar sem final ou interromper na metade.

        O último absurdo é “Criminal Minds: Suspect Behavior”. Tá certo que não chega aos pés da franquia original, mas cancelarem a série depois de um último episódio com “to be continued” é o cúmulo do desrespeito!!

        Responder

        1. Ivonete,

          Acho que tem os dois lados: os canais abertos lá, que produzem a maior parte dos seriados que acompanhamos, não estão nem aí, como os nossos funcionam tbm né? Não teve audiência, tchau até logo. Agora, por outro lado, quando eles exibem eles cuidam de fazer certo, enquanto os nossos sacaneiam nas legendas, mudam de horário. O caso de Suspect Behavior é o típico caso de produtor sem noção: a audiência estava muito baixa e eram fortes os boatos de cancelamento, aí o produtor e os roteiristas lançam um gancho na esperança disso garantir a renovação e o telespectador é que dança.

          Responder

          1. Concordo em relação ao desrespeito com horário e legendas, tanto que desisti de acompanhar séries pela tv, mas estava me referindo a produções nacionais, nunca vi, ou pelo menos não lembro, de produções nacionais ficarem sem final.

Deixe uma resposta