Hawaii Five-O : Po’ipu (The Siege) (01×09)

Eu já disse, a cada review, o quanto gosto de Hawaii Five-O: não fico sem um episódio, isso quando não volto e assisto a algum pedaço do qual gostei muito. É garantia de diversão e ótima qualidade.

E entendo bem quem se encantou com Scott Caan: se Alex Laughlin ainda traz o mesmo jeitão do médico de Three Rivers, com uns olhares de Moonlight no meio, ele realmente criou um personagem marcante. Seu jeitão “italianado” dá um tempero muito especial ao personagem.

Talvez seja daí que a dupla de parceiros funciona tão bem: você enxerga claramente aonde são opostos e fica esperando pelo momento em que um dos dois vai ter aquela sacada.

Dito tudo isso eu preciso também admitir: esse foi o pior episódio desde a estréia. E eu adorei ainda assim.

Ele foi o pior porque foi pura marmelada: tirano político, um super amigo de McGarret envolvido na segurança (na hora da apresentação você já sabia que ele era o culpado), uma assassina profissional em CIA que parecia qualquer coisa, menos uma assassina, quem sabe uma professora de balé, sangue espalhado por todo lado (Dexter já nos ensinou a identificar quando o sangue não condiz com a cena do crime), perseguição com explosões, McGarret levando a todos para sua própria casa como o lugar mais seguro da ilha. Tudo improvável, bastante inverídico, mas eu me diverti muito.

Observação: os parágrafos acima demonstram que assisto a seriados demais.

E aí chegamos a conclusão simples de que, quando os ingredientes são de qualidade, mesmo quando a receita desanda, você ainda aproveita alguma coisa.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Si, (que intimidade!!!) estou vivendo um encantamento com o remake do Hawaii Five-0 . Os roteiristas acertaram ao manter tudo que era plausível da série original como o cenário luxuriante do Hawaii, as cenas de ação e os tipo físico dos personagens etc,. Também acertaram ao colocar um mulher na equipe. Gosto de ver a “Kono” nos representando. Mas a grande sacada foi colocar um pitada de humor. O “Danny” original não passava de um coadjuvante que entrava mudo e saia calado. O “Danno” do (aff!) Scott Caan é cheio de humor e ironia e rouba cena. Fico observando as cenas dele com o Alex O’Loughlin e é óbvia a “canastrice” do new McGarret. Scott mereceu muito a indicação do Golden Globe. Aquela cena dele fazendo discurso com “colinha” na porta da casa da ex foi arrasadora. Pena que ele esteja muito bem acompanhado do Eric Stonestreet do Modern Family. Curto também o Kurt do Chris Colfer, mas o personagem dele não tem tantas nuances quanto os do outros.
    Assisto várias séries, mas 2010 é ano que estou “in love” com Hawaii Five-0. Pelo bem sucedido remake de uma série que eu cresci curtindo, pela produção mega bem cuidada, (aff!) pelo “Danno” do Scott Caan e, (hahaha) preciso falar a verdade, pelo próprio Scott mesmo. #ProntoFalei
    Obrigada pela “compreensão” e concordo com você que este “Po’ipu (The Siege)” não foi nada verossímel. Mas quem está ligando? Nada é perfeito neste vida, né??? Aff!!!!
    Feliz 2011!

    Responder

Deixe uma resposta