The Good Wife: Poisoned Pill (02×06)

Eu sou da geração que viu Michael J. Fox despontar para o estrelato com De Volta Para o Futuro. O filme, que depois virou trilogia, lançou o rapaz com cara de menino para o sucesso e marcou os jovens da época por conta de suas invenções e por incentivar sonhos.

Depois disso, fã de série que sou, Michael J. Fox virou ídolo adulto interpretando um homem envolvido com política no seriado Spin City, no qual ainda era responsável pela parte de criação e direção. Até hoje não encontrei substituto para o seriado que conseguia ser crítico enquanto fazia graça. Após o diagnóstico de parkinson, Michal deixaria o seriado sendo substituído por Charlie Sheen, que fez um bom trabalho, mas não seria a mesma coisa.

No meu outro blog eu contei, ainda, o quanto me tornei fã da pessoa Michael J. Fox após ler o livro em que ele conta sobre a luta pessoal após a descoberta da doença, aonde soube usar a política da forma que ela é mais interessante: sem escolher lados, mas escolhendo causas.

Então é claro que eu estava ansiosa por ver Michael de novo na telinha em sua participação em The Good Wife, ainda mais se considerarmos o quanto eu gosto do seriado.

E os roteiristas, de novo, acertaram no resultado: Michael, sempre associado a imagem de bonzinho, aqui não foi nem mocinho, nem bandido, mas um advogado que faz seu trabalho usando o que tem a mão para ganhar sua causa, mesmo que isso signifique abusar da bondade de Alicia Florrick e usar de sua deficiência a seu favor.

Quando ele explica aos membros do júri o que poderá fazer por falta de controle do seu corpo você não consegue deixar de rir, e não consegue deixar de pensar que Alicia e Diane se ferraram.

Mas, o que fica mesmo, é o momento em que ele apresenta uma nova dimensão sobre ganhar e perder para Alicia.

Já estou ansiosa de novo aguardando a próxima aparição dele, já confirmada pela produção.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Exelente episódio esse né?!!!
    o que realmente me marcou no fim de tudo foi o que o personagem de Michael diz sobre quem ganhou …. nunca me passaria pela mente tal dimensão que os advogados ficariam

    naquele discurso eu fiquei que nem a Alicia ….. de queixo caido … mas caido mesmo daqueles que vão até o chão e ficam

    que ótimo saber que o Michael fará uma nova participação, parece que o pessoal do TGW sabem aproveitar muito bem os personagens que marcam, como foi o caso da filha da Meryl Streep

    Responder

  2. Sério que ele vai aparecer de novo??? Eu gostei um monte do episódio, várias passagens muito interessantes, na “disputa” entre ele e Alicia no tribunal. E o final realmente foi de cair o queixo…

    Responder

  3. Eu adorei o episodio……a cara de coitado do inicio foi tudo…..amei saber que ele irá aparecer…Adorei o final qdo ele fala para Alicia que quem ganhou foi eles. Nem sempre quem “ganha” é o vencedor;

    Responder

  4. Excelente a participação dele, bem que poderia substituir a alicia (ôh sujeitinha mais sem sal, sem expressão facial – sempre com a mesma cara).

    Gosto da série, mas deixo de assistir por conta dela!

    Responder

Deixe uma resposta