Chicago PD: Grasping for Salvation (4×20)

Quem conheceu Voight em Chicago Fire costuma dizer que nosso sargento tem muita coisa para acertar de seu passado, quando ele era o cara corrupto que prendia alguns e deixava outros livros. Pois ao que parece ele está determinado, hoje, a fazer o certo e o processo é bastante doloroso.

E a coisa parece doer especialmente quando ele deixou as coisas acontecerem porque estava olhando para o outro lado, como aqui, em que um homem ficou anos na cadeia por um crime que não cometeu porque ele deixou que o seu parceiro da época fizesse o que bem quisesse com o caso.

Na verdade, quando a gente olha o entorno, o tipo de policial com quem Voight foi trabalhando, a gente passa a entender melhor suas escolhas. Não estou justificando seus atos ou dizendo que ele era inocente, mas é possível entender que foram várias coisas que acabaram por desviá-lo do caminho que ele deveria ter seguido – o que na verdade nos leva a pensar se ele teria chegado aonde chegou se não tivesse feito as escolhas que fez.

Porque vocês vêem que ele tenta fazer o certo hoje e acaba tropeçando em um monte de obstáculos colocados por outras pessoas, neste caso até mesmo o pai do rapaz morto serviu de exemplo, um advogado criminal conhecido, que optou por fechar a porta para a polícia e encontrar justiça por si próprio. Eu não sei se ele chegaria ao culpado da forma que a equipe da Inteligência fez – deu trabalho ligar tantos pontos ainda mais com as tentativas do ex-parceiro do Voight de jogar tudo para baixo do tapete -, mas se o tivesse feito o garoto que cometeu o assassinato acabaria também morto.

Um garoto que, no final das contas, estavam também tentando consertar coisas erradas. Eu não sei como o pai dele o criou, mas eu realmente achei uma pena como as coisas acabaram acontecendo para ele, afinal, mesmo que ele não acabe na prisão pelo resto da vida, ele jamais será a mesma pessoa depois do que aconteceu.

P.S. Lindsay e Jay, que será que anda rolando ali?

P.S. do P.S. Mas gostei de vê-la encarregada da equipe. Ela aprendeu bem o que Voight lhe ensinou.

P.S. do P.S. do P.S. Depois fiquei pensando: o homem preso injustamente colocou toda a culpa em Voight e Woods, mas e seu advogado? Que trabalho mais porco ele realizou! O recibo e o testemunho da filha eram peças importantes e ele ainda poderia ter apertado a esposa da vítima com relação ao que ela realmente viu naquela noite.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Em fase de revival estava eu assistindo Twin Peaks e não é que o criminoso da semana pego pelo Voight era nada menos que o Bob de Twin Peaks, então não deu outra pra mim a não ser saber que ele já era o culpado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *