Chicago PD: Some Friend (4×06)

Depois de um tanto apagado nos episódios passados, Olinsky ganhou um episódio para chamar de seu e sua história não foi nada fácil – ao que parece ele e Voight ainda terão de lidar com decisões erradas de seu passado por muito tempo ainda.

Jake McCoy, em verdade, é o “Some Friend” do título que você simplesmente preferiria que ficasse no passado e que, ao contrário disso, reapareceu na pior situação possível como suspeito de um assassinato de uma garota.

Desde a segunda cena nós sabíamos que a ligação pessoal de Olinsky com o ex-jogador acabaria sendo sinônimo de problema para o policial, ainda mais considerando que a chefe de polícia está de rédeas bem curtas desde que não pode provar o envolvimento de Voight com o desaparecimento do assassino do filho deste.

E Al não facilitou: ainda que ele não quisesse proteger McCoy no caso, mais de uma vez a gente viu em seu rosto que ele queria que o amigo não fosse culpado e isto estava tão na cara que pensamos se podíamos continuar confiando nele.

No final das contas este desejo não se realizou e, graças a Deus pela atuação na medida de Elias Koteas, doeu bastante em Olinsky descobrir a verdade. Verdade que, diga-se de passagem, é provável que eles não descobrissem sem o fato dele ter esse relacionamento bastante pessoal com o culpado.

Na verdade isso deu mais valor ainda ao Olinsky: ao perceber que McCoy usou o telefone da filha para falar com o antigo assistente, ele poderia mesmo não ter feito nada, mas ele foi lá e arrancou a verdade. Achei bastante tolo a advogada de McCoy o questionando como “belo amigo você é”. O cliente dela matou e é o Olinsky que foi um mal amigo?

Ainda tivemos tempo tempo para Burgess e seu novo parceiro – nenhuma opinião formada até o momento, preferia a anterior – e o caso da moça que rouba lanches e que é uma ex-policial. Eu realmente acho que a queixa não deveria ser retirada, ser ex-policial não serve como passe para fazer o que quiser depois, mas apoio a decisão da Burgess de ficar com ela e mostrar que a entende.

Burgess: melhor pessoa.

P.S. Ao que parece o pai da Lindsey pretende assombrar a vida da filha, confere?

P.S. do P.S. Nesta terça tem exibição de episódio duplo antes das férias de final de ano.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Passei o episódio inteiro torcendo para que o amigo do Olinsky não fosse o assassino.

    Esse pai da Lindsey vai dar trabalho. Voight se livrou da mãe, futuramente terá que afastar o pai.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *