Elementary: Art Imitates Art (4×20)

elementary-art-imitates-art-4x20-s04e20

Tudo bem que o conceito do que é arte pode ser meio “elástico”, mas daí a chamar de arte selfies de Instagram super ampliadas a coisa já é exagero, não é mesmo? Não é que ele pegou parte das fotos impressas e transformou em algo novo. Não é nem que ele aplicou um filtro diferente ou usou um dos vários aplicativos de edição para fazer algo. Ele ampliou as fotos. Eu amplio fotos. Na verdade eu tiro fotos bem boas.

Bom, mas a grande questão da noite é que por causa das fotos um crime aconteceu e outro foi desvendado, em uma das melhores histórias desta temporada. Eu até demorei um tempinho para descobrir que a promotora tinham sido a assassina – só peguei quando a policial revela que a menina morta anos antes na verdade era lésbica e ainda assim não imaginei que tinha sido ela a ter o caso.

Agora absurdo mesma é a completa falta de noção da patologista forense: como assim não tem problema alterar os resultados de um teste de DNA para ajudar policiais a fecharem seus casos? Um cara passa anos na cadeia sem ser culpado e ela acha que está tudo bem? Gente, que coisa doida! A calma com que ela defende o que fez naquela sala de interrogatório foi de me deixar besta.

Quem ela pensa que é? Que horror!!!

Finalmente, mas não menos importante, ainda tivemos um pouco mais da meia-irmã da Joan por perto e se no começo eu não estava gostando nada da menina, bem, agora já estou achando que pode fazer bem para nossa amiga ter alguém com quem conversar sobre o pai com quem ela não teve oportunidade de conviver.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Putzzz …. coloca essa patologista numa sala com todo povo dos CSI’s pra ver se ela não sai pianinho !!! loucura total a afirmação dela.

    E sobre as selfies nem foi o cara dito “artista” que tirou, ele só roubou das pessoas, que arte de nada ora bolas.

    Sobre a dica da amiga em dizer que a vítima estava tendo um caso com outra mulher é uma baita dica que os detetives deixam passar da primeira vez e quase que Sherlock deixa.

    Fiquei é com pena da filha, as duas mães foram presas por praticamente o mesmo crime :/

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *