Elementary: Alma Matters (4×10)

Elementary Alma Matters 4x10 s04e10

Ao que parece a indústria da educação superior anda tendo problemas nos EUA com entidades loucas para aproveitar do dinheiro do governo, deixando aos estudantes um futuro de enormes dívidas financeiras que eles não fazem ideia de como pagar. O mote foi usado na semana passada em The Good Wife e de novo aqui, em Elementary.

Só que enquanto a primeira nos mostrou Alicia e Lucca explorando a incapacidade das ditas “faculdades” de realmente ensinar algo aos seus alunos e lhes garantir um futuro emprego, aqui os roteiristas não usaram meias palavras e foram direto ao ponto: essas faculdades apenas e tão somente querem o número do seguro social das pessoas para fazer a matrícula e garantir mais um cheque do governo. Ligou lá por engano? Check, matriculado.

Mas claro que não poderia ser somente isso: o dono da tal instituição era um tremendo psicopata que não se importava de aproveitar alguns destes devedores como mão de obra barata para assassinato.

Aqui um caso em que saber quem era o culpado – a gente já sabia desde o princípio, não é? – era o de menos, como provar que ele era o culpado era mais importante e não fosse o Sherlock e a identificação do padrão do tartã da família do psicopata e ainda estaríamos tentando descobrir como pegar o moço.

(Eu sei que poderíamos achar absurdo isso, mas eu acho isso tão Sherlock!)

Agora falando do verdadeiro mistério da noite: quem teria indicado a Morland que seu próprio filho tentaria matá-lo? Eu sei que a relação dele e Sherlock nunca foi das melhores, mas assassinato é bastante radical, ainda mais considerando que Sherlock havia seguido muito bem com sua vida em Nova Iorque.

Só que a grande surpresa disso tudo foi saber que Morland não foi o responsável pela morte do tal agente da Interpol, mas que este trabalhava para ele e muito provavelmente descobriu algo sobre o verdadeiro mandante da tentativa de assassinato – que, não tenho dúvida, está ligado a quem quer que tenha apontado o dedo para Sherlock, não é mesmo?

Agora, se o cara errou em tentar assassinar Morland e não conseguir, pior foi ter acusado Sherlock, já que este não sossegará até resolver o mistério.

P.S. O arranho na bochecha de Sherlock me incomodou o episódio inteiro. Bom, incomodar não é apalavra certa, afinal eu queria mesmo era cuidar dele….

P.S. do P.S. Já o cabelo do Morland, Good Lord, que coisa horrível!

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Logo na primeira cena que Morland ia aparecendo cantarolando …. foi tão Walter Bishop heheheheh

    Eu também logo percebi o mesmo mote usado em The Good Wife, estamos assistindo muitas séries …

    Totalmente ilógico o Morland pensar que Sherlock fosse cometer assassinatos, isso só resulta agora em uma caça enorme por parte do Sherlock a esse criminoso …. tomara que seja intrigante !

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *