The Blacklist: Arioch Cain (No. 50) e Sir Crispin Crandall (No. 86) (3×05 e 3×06)

Ops, uma gripe me pegou na quarta e acabei me enrolando. Só que, ao invés de deixar para falar de The Blacklist na semana que vem, resolvi já fazer um combinado e falar do episódio de ontem de uma vez – até porque acabei de assisti-lo no Now e, aqui entre nós, ele foi tão bom que não dá para deixar para depois.

Arioch Cain (No. 50) trouxe mais um personagem cuja existência só é possível por causa da internet: Wendigo, não um, mais vários assassinos que fazem justiça com as próprias mãos depois que “sentenças de morte” são decretadas em um site. Red precisou, então, desviar um tanto da missão de limpar o nome Liz para conseguir mantê-la viva.

Dentro de um temporada que tem apresentado apenas episódios excelentes, este perde um pouco por usar do clichê: Liz só não terá mais a cabeça a prêmio se seu nome for retirado do site por quem o colocou lá em primeiro lugar e essa pessoa é uma menina que perdeu sua mãe no atentado cuja culpa recai nas costas de Liz. A escolha faz com que Liz fale a própria mãe para provar a menina que não é culpada e que irá atrás do verdadeiro assassino para vingar a morte dos inocentes.

Do outro lado, ele arrisca ao colocar o diretor da CIA, nosso inimigo número um, em uma sala ao lado da do Ressler para que ele saiba tudo que está acontecendo na força tarefa. E eu falo arriscar porque isso pode ser tão sensacional como péssimo, já que não queremos um FBI trouxa como o de The Following/Quantico, mas como ele tem sido a pedra no sapato do Red, eles não podem deixar que o FBI o engane facilmente, para não perder a graça. Missão difícil, mas que bem feita nos dará um prazer enorme.

O episódio também marca o reencontro de Dembe e Red no mais querido abraço fraterno!!! Além da presença da querida senhora Kaplan dando um jeito na sujeira, dando uma morte para a Liz e ainda levando o Dembe para ser tratado. A eficiência dessa mulher me fascina!

Só ficou faltando mesmo o Dembe e o Red torturando Solomon com agulhas embaixo das unhas para eu ficar realmente feliz.

The Blacklist - Sir Crispin Crandall (No. 86) - Season 3 - s03e06 3x06

Se meu medo era não darem conta do diretor sentado na cadeira do Cooper, pronto, os roteiristas já me acalmaram em Sir Crispin Crandall (No. 86) mesmo: trouxa ele, mas um trouxa perigoso. O roteiro conseguiu mostrar que ele daria sim trabalho ao FBI, mas também mostrou que Aram faz toda a diferença num caso como esse – ainda que ele não tenha impedido o diretor de enganá-los, ele garantiu que descobriria que foi enganado a tempo de fazer alguma coisa.

Agora, importante mesmo foi o esquema do Red todo para roubar o sei lá o que do diretor: que operação, gente!!! Eu ali tentando entender o que eles estavam fazendo naquela obra no Canadá e tudo se conectando quando ele corta o dedo do carinha congelado. E não foi só isso: o papo dele com o milionário maluco explicando que ao criar sua arca de Noé ele esteva justamente apressando o fim da raça humana do qual ele queria fugir.

Red, assim, conseguiu algo que foi capaz de dar medo no diretor, só não o bastante para que ele exonere Liz – por enquanto a gente apenas saboreia a cara de perdido dele. Melhor que isso só se Ressler realmente conseguir tirá-lo do caminho, mas algo me diz que o vídeo que ele conseguiu e nada terão o mesmo efeito, Ressler é apenas inocente ao não enxergar o tamanho da influência das pessoas que Red quer derrubar.

O episódio também avançou bem na missão de Tom: ele chegou aos russos próximos de Karakurt. Será que ele vai realmente conseguir ajudar a Liz? Ainda que não consiga, acho importante falar que Tom se redimiu comigo: de personagem mala da segunda temporada a personagem que desperta minha curiosidade.

Na verdade a temporada conseguiu até mesmo tirar minha implicância com a Liz. Na verdade, ando até me preocupando com a personagem, vejam vocês!

Além disso, a gente tem tido muito, muito Red em todos os episódios. Como não amar?

Músicas dos Episódios

I Wouldn’t Want to Dance Without You – Hal David & John Cacavas

Trouble – Robots Don’t Sleep

Baby Did a Bad Bad Thing – Chris Isaak

String Quartet No. 62 in C major (“Emperor”), Op. 76/3, H. 3/77 – Joseph Haydn

Feel Alive – Signaljacker (Chris James)

Radar Love – Golden Earring

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. “A eficiência dessa mulher me fascina!” … eu li esta frase com a voz do Red ….heheheheheheh

    essa temporada está super empolgante, todos os episódios estão incríveis e a Liz como tem ficado sob o controle do Red consegue até ganhar relevância o que ela não conseguia nas temporadas anteriores

    o Tom pra mim sempre teve um quê de mistério que me deixava interessada pelo personagem

    mas o Red está brilhante a cada episódio e suas falas me deixam saudosista do Alan Shore

    Responder

  2. Temporada tao boa que ate o Tom, personagem mais chato que eu ja vi desde o Frodo, ta arrasando agora, ouvi falar em um spin off da serie com Tom protagonizando…

    Responder

    1. Sim, rolou o lançamento nos últimos episódios desta temporada e parece que o pessoal gostou bem. Vamos ver o que fazem do personagem nos próximos episódios para ver se realmente justifica isso.

      Responder

  3. Adoro essa série é melhor agora que Red está realmente como principal e a Liz apenas coadjuvante.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *