Supernatural: Just My Imagination (11×08)

Tudo uma questão de “clima”.

Uma leitora do blog recentemente elogiou um episódio de Supernatural e comentou estar achando a temporada fraca. Eu aqui, como já disse, estou empolgadíssima, como há um bom tempo não ficava, apostando bastante na trama central da temporada e adorando cada um dos episódios menores.

Pensando no que a leitora colocou e em como me sinto fiquei tentando concluir no que faz essa diferença de percepção, além de que cada um gosta de uma coisa, é claro, e acho que no meu caso é o clima: nada de irmãos em crise, nada de Sam de mimimi – mesmo agora com a história das alucinações – personagens secundários com que simpatizo, um clima geral de “poxa, esse pessoal aí se diverte demais fazendo essa série”.

E Just My Imagination vem a confirmar essa minha impressão: o amigo imaginário da infância de Sam reaparece com um pedido de ajuda e então os Winchesters começam a perseguir um assassino de amigos imaginários. Você pode achar a trama boba, mas não pode tirar o mérito de terem imaginado algo assim. Eu não posso.

Supernatural Just My Imagination 11x08 s11e08

Eu não posso não rir com a cara de Dean quando vê Sam brigando com o vazio, ou quando ele solta um “Vou enterrar Ariel a sereia sozinho?” ou quando Sully e o amigo estão discutindo as vantagens de ter gordurinhas para a sobrevivência de alguém. Isso no meio de revelações das magoas de infância de Sam e da história da menina que perdeu sua irmã e ficou sozinha sem seu melhor amigo para confortá-la.

Achei que o roteiro acertou muito na dosagem das duas coisas, causando emoções nos fãs mais antigos.

Além disso, trouxe uma questão que eu não tinha aventado até agora: enquanto eu simplesmente interpretei as alucinações de Sam como uma chance de Lúcifer voltar, Sam acha que Deus quer que ele volte para lá e está com medo. Na boa, Deus podia ser mais claro mesmo com a mensagem, explicar afinal como os dois podem ajudá-lo, afinal não é muito fácil ser praticamente ser enterrado vivo e depois ficar sonhando com a sua cova.

Apesar de eu achar que a lógica é libertar Lúcifer, afinal ele é lá do começo dos tempos e talvez seja o único com força o bastante para enfrentar a irmã caçula de Deus.

Resta torcer para eu estar certa e para Deus dizer isso logo de uma vez para o Sam.

Ah, e eu já falei que eu amei esse episódio? O que foi aquela cena da mãe se sujando de sangue e as caras e bocas de Sully, Dean e Sam?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. seu que sou muito fã deste meninos então pra mim não tem isso de ser ruim episódios

    sempre tem alguma coisa que se salve e os dois meninos sempre irão me agradar, mesmo sendo episódio filer

    mas realmente me empolgo qd os roteiristas conseguem transformar algo tão banal em realmente um episódio empolgante

    as caras e bocas do Dean são impagáveis …. hehehehehe

    Responder

  2. Eu já assisti este episódio 03 vezes!!!!!! Eu estou adorando esta temporada da série. Amo estes meninos!!!ri litros com Dean mandando Sam ir para a biblioteca e o mesmo indo todo cabisbaixo. Aliás, adorei a dosagem entre o lado cômico e o mais emocional neste episódio.

    Responder

Deixe uma resposta