Criminal Minds: Internal Affairs (11×09)

“O inimigo está dentro dos portões: é com nossa própria luxuria, a nossa própria loucura, nossa própria criminalidade que temos de lidar”. – Marcus Tullius Cicero

Daqueles episódios em que a citação já revela muito bem sobre o que falaremos: e quando o bandido está no time daqueles que deviam defender a população? Pois bem, pior se ele estiver entre os grandões da NSA e usar um assassino em série para eliminar quem ficar no seu caminho.

Apesar da trama bastante diferente, este não foi um dos melhores episódios de Criminal Minds.  Vamos dizer assim que ele foi um episódio “de passagem”: ele citou a grande trama da temporada dos assassinos que querem a cabeça da Garcia, mas não trouxe muita coisa nova com relação a isso, e a equipe ainda está sem Reid, o que hoje foi especialmente sentido.

Não ajudou o excesso de desvios pelo caminho: a equipe é convocada para verificar se uma investigação de mortes de agentes do governo pode estar relacionada a um traidor dentro da própria força e existe um suspeito óbvio. Só que logo o óbvio não é mais óbvio, acaba morto inclusive, e aí temos a desconfiança de que quem convocou o pessoal da BAU é o culpado, mas também não é ele e acaba que é outro cara dentro da própria NSA.

E o cara da NSA usava um assassino em série para eliminar não somente a concorrência, os traficantes que não tinham rendimento, mas também os agentes de polícia que ficassem em seu caminho.

Ah, e no meio de tudo isso tivemos até mesmo mamãe de subúrbio (nossa, bateu uma saudade imensa de Orphan Black neste momento) que virou traficante importante e todo um esquema de pirâmide na venda de drogas, e um assassino que “vestia” o rosto que arrancava de suas vítimas – creeeeepppppyyyyyy.

É, talvez tenha sido um problema de excesso de informação.

Mas pelo menos teve Garcia e Hotch comendo omelete vegetariana com jalapeños no escritório.

Criminal Minds Internal Affairs 11x09 s11e09 Garcia Hotch

P.S. A Internet hoje amanheceu com a bomba da revelação da saída de um dos membros do elenco original. Pelo que pude apurar o segredo foi bem guardado e a trama de sua saída bem desenvolvida. Claro que nos dói a partida de qualquer um dos nossos personagens queridos, mas é preciso lembrar que Criminal Minds completa onze anos e o quanto é admirável que ela não tenha perdido qualidade até hoje. Talvez seja hora de pensarmos  no final, seria terrível ver a série definhar e ir perdendo seu elenco, não é mesmo? Para quem ficou curioso, aqui o link com a notícia.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Vou chorar. Acho que vai ser tão doloroso como a saída do Grisson, do Dinozzo e do Dr. Green. Mas concordo com o ator, é necessário crescer.

    Responder

    1. Eu gostei da forma que escolheram para a saída, afinal de personagem querido morrendo a gente já está cheio. Imagino o sofrimento da Garcia.

      Responder

Deixe uma resposta