Chicago Med: Intervention (1×11)

Lista de coisas que fazem a Simone querer dar na cara de alguém: falta de educação, falta de respeito, dizer que brigadeiro é porcaria (o Jamie Oliver fez isso uma vez, humpf), a Amelia de Grey’s Anatomy, o ruivo de Chicago Med, versão mal feita de livro que eu adoro, gente que acha que vacina faz mal. E vejam que nesse episódio tivemos dois fatores irritantes conjugados.

Só que o meu horror a gente que defende que vacina faz mal a saúde e por isso coloca em risco todo o resto da população é maior que a irritação que sinto cada vez que o ruivo aparece na tela, então ele teve desconto neste episódio, até porque ele também queria dar na cara daqueles dois pais irresponsáveis.

Ruivo que já tem o bastante com que se preocupar mesmo sem bater nos pais dos outros: a moça que ele ressuscitou contra a vontade continua firma no propósito de processa-lo e agora ele se agarra à chance de que ela melhore com o tratamento alternativo com todas as forças para tentar escapar dessa.

Pelo menos ele terminou o episódio feliz porque a Bicudinha não lhe disse não, apenas um “ainda não” – prêmio de casal mais insosso da TV para estes dois.

Mas a menina doente por conta da escolha errada dos pais não foi a única trama complicada do dia: um moço morre por causa de um erro médico (dessa vez um médico de fora do hospital, pelo menos) e outro escolhe retirar a bomba que está substituindo seu coração a espera da um transplante porque não aguenta mais ter meia vida. Nos dois casos o roteiro colocou os médicos do hospital em lados opostos.

No primeiro caso quem identificou o erro do médico, e descobriu depois outros erros, foi Reese e eu tenho que dizer que essa guria me surpreende a cada episódio. Para quem achou que isso iria colocá-la em choque com o doutor Charles, antigo amigo do médico em questão, a cena em que ela conta a ele e a chefe deve ter sido um sinal ruim, mas Charles, apesar de sentido com tudo, manteve-se do lado certo. Mais um ponto para ele.

Chicago Med Intervation 1x11 s01e11 Rhodes Choi

Já no caso da bomba foi a vez de Rhodes e Choi entrarem em conflito. Inicialmente os dois recusam retirar a bomba, mas Rhodes muda de ideia depois de conversar com Downey e devo dizer que eu apóio. Por mais que seja terrível encarar a ideia da pessoa escolher morrer, entendo que um médico não deve fazer mal, antes de tudo, e deve sim respeitar um paciente que escolhe dignidade a despeito de tempo.

Por conta disso foi bom ver Choi fazendo companhia a Rhodes nos últimos momentos do paciente.

P.S. Namoradinha de Rhodes vai embora e eu não vou sentir falta dela.

P.S. do P.S. Noah está de volta e ao que parece decidido a ser mais um motivo para eu querer dar na cara de alguém.

P.S. do P.S. do P.S. Muito legal a doutora Goodwin falando de seu aniversário de casamento. Longe do romance prometido pelos contos de fadas, relacionamentos longos são feitos das pequenas coisas e grandes compromissos, da parceria, do companheirismo e eu vi tudo isso aqui.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. como eu queria dar na cara destes pais irresponsáveis, ainda bem que o Will disse exatamente o que pensamos, pra mim é impensável ter uma vida sem vacina

    foi uma linda mensagem no final a Goodwin sobre todos os anos de um casamento

    Responder

  2. Infelizmente muita gente ainda precisa receber tapa na cara e as sériemas,presidente tentam alertar para isso. Já falaram sobre vacina também no L&O SVU e em uma outra série que não consigo lembrar o nome. Alguém lembra

    Responder

  3. Nossa, o corretor automático fez uma bagunça, quis dizer “as séries sempre tentam alertar para isso”

    Responder

Deixe uma resposta