Grey’s Anatomy: My Next Life (12×12)

Algumas escolhas são simplesmente impossíveis. Acho que o que aconteceu com Nathan e a irmã de Owen é uma dessas: a irmã de Owen morreu porque o helicóptero em que estava com um paciente em zona de guerra desapareceu. Ela e Nathan estavam juntos no local e Owen não perdoa Nathan por ter deixado que ela embarcasse.

Anos de seriados médico já me ensinaram que médicos são mais possessivos com seus pacientes do que com seus companheiros de vida. Isso, mais o fato de que teimosia tende a ser um traço de família, eu duvido que Nathan, menos ainda Owen, teria conseguido demovâ-la da ideia de estar naquele helicóptero.

Mais que tudo, a certeza de que, por mais que doa perdermos alguém querido, Nathan não merece esse mimimi todo que o Owen está fazendo desde a chegada dele.

Até porque o cara tem se mostrado um excelente médico. Mesmo quando admite sua limitação de se conectar com os pacientes no hospital – ainda mais porque ele pode ter receio, ele pode sofrer com isso, mas ele consegue se conectar com os pacientes sim.

Só achei uma pena que Meredith tenha que ter perdido uma paciente tão querida para que a verdade aparecesse. Vai me dizer que você não ficou apaixonada por ela e por sua força de viver? E morrer depois de tudo que passou e por uma besteira. Fiquei bastante triste.

Greys Anatomy My Next Life 12x12 s12e12

Jo e Alex: preguiça. A menina é doida e o Alex está tendo paciência demais para o meu gosto, devia era devolver o raio do anel de uma vez.

Maggie, DeLucca e Richard: adorei tudo. Richard torturando o rapaz, Maggie dizendo para o pai que gostou de vê-lo cuidando dela, os dois saindo para jantar enquanto DeLucca ficava com a papelada. Tudo.

April e o bebê: hoje não me irritou, vai me irritar amanhã, certeza.

Amelia: devia sair do hospital e montar uma clínica com a April. Na Austrália. África. Onde quiserem.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. Ainda me adaptando com essa nova fase de Greys, acho que o Natham tem um bom futuro na série e concordo plenamente com você quanto a Amélia e April só que Austrália é ainda muito perto.

    Responder

  2. Está na hora do Hunt parar de tratar o Nathan assim, afinal o cara vem se esforçando. E se o helicóptero sumiu, quem sabe essa irmã não reapareça um dia.
    Jo e April, aff…

    Responder

  3. Abril: FX estreia “Bordertown”, nova animação dos criadores de “Family Guy

    Recém-estreada nos EUA, a animação “Bordertown” chega em abril no Brasil pelo canal FX. Comédia criada por Mark Hentemann (“Family Guy”) e produzida por Seth MacFarlane (“Ted”), a série traça um olhar satírico sobre as diferenças culturais presentes nos Estados Unidos.

    A atração se passa em Hentemann, uma cidade fictícia e deserta do Texas perto com a fronteira do México. Explorando família, política e tudo que está no meio das divergências cultuais, a animação é centrada em duas famílias bem diferentes que vivem em uma fictícia cidade do deserto dos EUA, na fronteira com o México. A série acompanha a família de Bud Buckwald, um patrulheiro da fronteira casado e pai de três filhos que não está se ajustando bem às mudanças culturais ao seu redor; e a família do vizinho Ernesto Gonzales, um imigrante mexicano com quatro filhos.

    “Bordertown” estreia dia 11 de abril, à 0h45 no FX.

    Link com a Informação:http://vcfaz.tv/artigo.php?t=232892

    Responder

Deixe uma resposta