Chicago Med: Clarity (1×10)

Dizer para vocês: muito amor pelo Choi e pela Reese neste episódio. Até porque pelo doutor Charles eu tenho amor em todos os episódios, hehe.

Mas, sério, gostei muito da forma como Choi conduziu o caso, ainda que ele tenha dado uma escorregada ao confrontar o pai do garoto, ele envolveu Charles quando preciso, não se intimidou pelo apelo do pai e deu liberdade para que Reese chegasse às suas próprias conclusões, sendo surpreendido quando ela levanta um diagnóstico improvável.

Choi está enfrentando seus fantasmas e, ainda que tropece, merece a minha admiração por isso.

Reese é uma menina e neste episódio parece que me toquei disso finalmente. Ela não integrava a ala dos odiados, mas me irritava de vez em quando. Mas neste episódio eu pude entendê-la melhor. Na verdade, pensei bastante em Carter em começo de carreira em ER por causa dela. Acho que ela vai mudar de ideia quanto à sua especialidade e que será legal ver isso acontecendo.

CHICAGO MED -- "Clarity" Episode 110 -- Pictured: (l-r) Katherine Keberlein as Joan Cooper, Brian Tee as Dr. Ethan Choi, Rachel DiPillo as Dr. Sarah Reese -- (Photo by: Elizabeth Sisson/NBC)

A história toda do Rhodes e Dawney ainda não me ganhou, confesso. Primeiro porque achei que as coisas aconteceram rápido demais, depois porque não vejo Rhodes apaixonado pela nova especialidade. Ainda sou mais o Rhodes no pronto socorro, mas vamos ver se ainda me convenço.

Já a dupla ruivo e bicuda – ia colocar biquinho, porque a Natalie está sempre de biquinho – continua irritante e hoje também estava irritada. Halstead precisa arcar com as consequências do que fez e seus atos acabaram me fazendo lembrar do outro erro dele, quando insistiu em salvar um cara que depois ficou vegetando, e briga com Natalie. Tudo isso para depois tascar um beijo nela e dizer que a ama.

Isso significa que eu além de ter de suportar os dois, terei de suportá-los juntos, confere produção? Afff!

 

P.S. Maggie sempre linda e maravilhosa. Ela e Rhodes formam uma ótima dupla.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Adorei o ruivo e a bicuda (lembrei da passarinha) kkkkk
    Diferente de Chicago PD, onde amamos toda a equipe, Chicago Med ainda deixa a desejar nesse quesito, pois alguns personagens são totalmente descartáveis.

    Responder

    1. Adoro colocar apelido nos personagens de que não gosto, hehe.

      Sim, em Chicago PD você se apaixona e torce por todo mundo, até por quem aparece pouco na maior parte dos episódios como a Platt, aqui, afff.

      Responder

Deixe uma resposta