Downton Abbey: Episode #6.9 (6×09)

Downton Abbey 6x09 s06e09

Downton Abbey chega ao seu final em um episódio carregado de emoção – sim, eu sei, teve casamento e vários finais felizes e vi gente comparando com novela brasileira, eu não ligo – e eu, que assisti duas vezes, chorei absurdamente, em parte porque não tinha me recuperado ainda do episódio anterior, quando meu coração se partiu com o de Edith.

Então acho normal ter um bloqueio na hora de escrever a despedida, não é? Estou aqui escrevendo e apagando as frases, sem saber ao certo por onde começar. Mas é preciso dizer adeus.

Adeus aos sinos anunciando que os criados são necessários nos andares superiores. Adeus aos drinques na biblioteca. Adeus ao farfalhar das saias. E as frases da Condessa Violet. Como dizer adeus à Condessa Violet? Ela que se despede dando felicidade à Cora por orgulhar-se dela, que tem uma sabedoria tão sua.

Acho que o maior mérito desde episódio final foi honrar a história de seus personagens e do mundo em que eles viviam, mantendo o charme do início, mas reconhecendo as mudanças que aconteceram e deixando claro que elas trouxeram consigo novos tipos de esperança.

Após o casamento de Mary no final do episódio passado, o episódio final acabou dando para Edith tempo suficiente não somente para que ela e Bertie fazerem as pazes – eu o amo ainda mais agora que ele passou por cima de tudo por ela -, mas para que ela mostrasse que a força mostrada no episódio passado não foi embora. Apesar do medo de perdê-lo novamente, Edith conta a verdade a sua sogra. Continuo considerando imperdoável o que Mary fez, mas é impossível não reconhecer que o acontecimento foi fundamental para que a nova Edith assumisse o comando.

E mesmo para Mary. Pela primeira vez eu vi a personagem parecer realmente sentir-se mal por algo que fez, sendo até mesmo capaz de conseguir que Bertie e Edith se reencontrassem. Quem sabe com mais alguns anos de série eu até pudesse gostar dela – uns 10 ou 12…

Se Edith e Bertie foram o alicerce do episódio, as duas horas de duração permitiram ainda muitos finais felizes: Tom e Henry levam a amizade que conquistaram nos últimos episódios ao nível seguinte e abrem juntos uma loja de carros – com Tom já se vendo como o próximo senhor Rolls ou Royce – e Tom parece que também encontrará sorte no amor, paquerando descaradamente (para a época) a co-editora de Edith.

A felicidade de forma inesperada é a de Isobel Crawley, após ela e o lorde Merton descobrirem que ele não morrerá tão cedo. Pena não mostrarem a cara da nora dele quando souber da novidade.

E se Molesley havia encontrado no episódio passado sua verdadeira vocação, neste as alegrias foram distribuídas de forma até exagerada entre os demais criados: Baxter deixou seu passado para trás; Anna e Bates recebem seu bebê no quarto de Lady Mary, fechando uma das histórias favoritas de todos os fãs de forma terna; Daisy deixou os discursos de lado e acaba abrindo os olhos para Andy, uma promessa de um outro casamento; e a senhora Pattmore, fundamental para colocar algum juízo na cabeça da ajudante, bem, se surpreendeu ao ver que o senhor Mason parece determinado a convencê-la a ter uma amor para si própria também.

Até mesmo Thomas encontrou seu caminho e eu devo dizer que meu coração se aqueceu ao ver seu sorriso quando o conde ajeita as coisas: Carson, cujos sintomas da doença se tornam mais fortes e poderia significar um futuro incerto e infeliz, continuará supervisionando as coisas na casa e Thomas oficialmente conquista a posição de mordomo que tanto ansiou todos estes anos.

Mas eu não poderia deixar de falar da história de amor maior, muitas vezes esquecida entre os acontecimentos na vida das três meninas Crawley: Robert e Cora. A pequena cena de Robert vendo sua esposa comandando o hospital foi delicada e linda, assim como a lembrança de quando Downton foi transformada em um hospital de guerra. Com Edith partindo para sua vida de Marquesa e Mary comandando a propriedade enquanto Tom e Henry alçam novos vôos, vê-los andando pelo corredor de mãos dadas foi o final perfeito para uma jornada que fui feliz em acompanhar.

Downton Abbey 6x09 s06e09 episódio final

E também não seria justo esquecer de que, além de um elenco bem escolhido, personagens cativantes, diálogos bem escritos, a própria casa, a própria Downton Abbey, encheu nossas vidas de beleza semana a semana por seis anos.

Novos tempos chegam – e eu aceitaria bem um spinoff mostrando Tom e Henry em suas aventuras comerciais, ou Edith dividida entre a vida de editora e de marquesa – e eu acho que, naquele imaginário aonde continuam vivendo todos os meus personagens de ficção favoritos, cada um dos Crawley está sorrindo, dançando, feliz.

“Makes me smile the way every year we drink to the future, whatever it may bring!” – Violet Crawley

P.S. Feliz de ver que vovó Levinson foi pelo menos citada, ainda que adorasse vê-la para uma despedida.

P.S. do P.S. Rose está ainda mais linda, a maturidade e o casamento lhe caíram muito bem, e adorei que ela tivesse o papel de fazer seu tio enxergar o trabalho de Cora acima dos ciúmes.

P.S. do P.S. do P.S. E eu que não consegui começar, paro aqui com a sensação de que ainda não falei de tudo que eu queria…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. E eu aqui com os olhos cheios de lágrimas de novo…

    Adorei as fotos que você escolheu pra postar aqui! Realmente, esta casa é linda! E foi muito bem retratada ao longo dos anos da série!

    Obrigada pelos textos!

    Responder

  2. eu também chorei à beça! Foi tão redondinho, até a Sra. Patmore se deu bem, e o Thomas sendo o mordomo e aceito pela Sr. Carson. Todo mundo se ajeitando, snif, muito lindo.

    Responder

  3. Creio que com o fim do seriado nossa semana se tornará mais pobre. Adorava a série e os seus comentários não poderiam ser mais apropriados.

    Responder

  4. Chorei muito com o último episódio e depois com o que você escreveu. Estou sentindo um vazio, pena que acabou, mas é melhor acabar enquanto tem magia, porque tem séries que acabam quando já perderam o encanto

    Responder

Deixe uma resposta