Castle: Reckoning (2) (7×15)

Lá vou eu escrever esse texto pela segunda vez, depois de ter perdido tudo que escrevi por conta de um erro de sincronização do aplicativo, humpf.

Ufa. Só digo isso, afinal senti alívio só de ver o nome do episódio e concluir que o meu sofrimento, ou melhor, o sofrimento do Castle, não duraria mais que duas partes. Eu já tinha dito a vocês que não estava emocionalmente preparada para muito além disso.

Questão é que essa segunda parte não foi fácil e Castle foi responsável por boa parte desse sentimento: impossível não sentir a dor dele quando acredita que Beckett está morta e impossível não compreender sua obstinação em salvar o amor de sua vida.

E eu não sei vocês, mas eu fui pega de surpresa, uma grata surpresa, quando descobri que ele havia conduzido 3XK direitinho de maneira que ele fosse pego e que o paradeiro de Beckett fosse descoberto.
Ainda assim foi para a policial que sobrou a cena mais forte do episódio: não vimos a doutora Hyde morta, mas a quantidade de sangue espalhada não deixou dúvida do destino dela.

Só que um drama desse ainda deve asssombrar aos dois por um tempo, o olhar da Beckett, nossa! Melhor mesmo saber que dessa vez 3XK e Doutora Hyde não tem como voltar.

castle reckoning 7x15 s07e15

P.S. Mas, olha, podem deixar o Castle fora da delegacia por mais tempo, ok? O papel de detetive particular caiu como uma luva para ele, deixando tudo mais informal e ainda mais divertido. Além de ter dado novo gás para a série.

Além disso, ao rever o começo da sexta temporada nesta semana eu entendi meus receios anteriores: Beckett como agentee federal nunca funcionou direito, fosse pelo momento, porque ela tinha acabado de ser pedida em casamento pelo Castle, fosse porque o tom da personagem não funcionou, já que parecia que ela queria mandar em todo mundoo por lá como fazia na delegacia.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta