Forever: Diamonds Are Forever (1×13)

E se a gente gosta mesmo de Forever porque ela é uma série que aquece nosso coração, Diamonds Are Forever pode ser considerado, então, o episódio perfeito: entre lágrimas e sorrisos fica a imagem das perfeitas amizades, aquelas que não precisam nem de palavras e que respeitam o tempo necessário para a a cura das feridas.

Sabíamos que o caso seria pessoal desde o início, desde que Jo abriu a porta para o rapaz que se tornaria a vítima da noite e isso foi confirmado pela aparição do nome de seu marido na pasta da promotoria com a ficha do rapaz – eu não lembro, a Jo já falou como ele morreu?

Outra coisa que tínhamos certeza era de que o rapaz era inocente e aí nem precisava da intuição de Henry, sendo um Sherlock de quinta ou não, para desconfiar, simplesmente porque estava fácil demais.

E em que momento a gente desconfiou do antigo amigo da Jo? Bom, eu desconfiei logo de cara, ainda que não imaginasse que ele apenas estava se sujando por muito pouco.

Entre coisas óbvias e a aparição de um novo personagem – que o Abe vai chamar para trabalhar com ele, também tenho certeza disso – o episódio foi uma graça, uma delicinha de se ver, com o bônus de darem um tanto mais de espaço para o parceiro da Jo. Pena que ele teve que ser baleado para tanto.

Temos, então, a cena final de Jo e Henry enquanto a neve cai e eu fico realmente dividida se quero vê-los juntos ou não.

O destino pode ser cruel. Um minuto aqui, um minuto ali, e vidas podem ser perdidas. Mas o destino também nos dá momentos de graça impossível.
Momentos quando nos aproximamos e nos conectamos de uma maneira profunda. Chances tão preciosas que quase nos fazem acreditar no divino. Que existe alguém cuidando de nós.

Forever: Diamonds Are Forever s01e13 1x13 Henry Jo

P.S. Alguém mais acha que o Henry devia simplesmente falar para ela que entende o que ela está passando porque ele mesmo já perdeu alguém que amava?

P.S. do P.S. Inéditos só em fevereiro nos EUA, não sei quando por aqui.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. owwwwnnn … acabei de assistir na warner e foi realmente entre risos e lágrimas o episódio

    olha foi realmente a primeira vez que falaram como o marido da Jo morreu e acredito que foi até mesmo a primeira vez que falaram sobre ele ser promotor e sobre a casa da Jo, só ainda não sei é como ele morreu

    assim como só ficamos sabendo agora como o Henry saiu do hospício-prisão que sua esposa o colocou

    torcendo também para o rapaz ir trabalhar com o Abe

    e ri muito do Abe comentando sobre o Henry ser Sherlock heheheheheh

    Responder

    1. Eu queria abraçar a Jo, tadinha! Foi um episódio muito emocional e, pensando agora, acho que foi na época do Natal, não foi? Então esse entra pra lista com NCIS e The Librarians.

      Responder

Deixe uma resposta