Doctor Who: The Caretaker (8×06)

Nunca Capaldi me lembrou tanto de Eccleston quanto neste episódio! E, é claro, isso não tem nada de negativo, afinal o “meu primeiro Doctor” sempre foi querido demais. Ele sempre carregou aquela dose de descrença nos seres humanos contrabalançando com seu desejo de salvá-los que garantia mais diversão ao cumprimento da missão.

Doctor Who: The Caretaker (8x06) go away humans

Engraçado que mesmo com a tal descrença dele, a gente sempre sabe que ele vai cumprir a parte dele. E, como os roteiristas fizeram questão de ressaltar aqui, assim é a Clara. A gente gostando dela ou não, ela usando nosso querido Doctor como hobby ou não, a moça faz o que ele pede e quando não faz é por um bom motivo.

Ainda assim o episódio foi leve, bastante cômico, com o Doctor se passando pelo zelador John  Smith, corrigindo Clara com relação ao ano em que Orgulho e Preconceito foi escrito, lembrando quando ele e River passaram um período de férias entre os otters, e escrevendo uma placa para que humanos ficassem longe, isso sem esquecer dele achando que um ex-soldado só pode ser um professor de educação física e não de matemática – e aqui damos um pequeno desconto ao preconceito dele no assunto.

E, falando  do ex-soldado: impossível não rir com a situação dele com a Clara! Sem sombra de dúvida não é nada fácil conduzir um relacionamento quando você precisa equilibrar sua vida de viajante no tempo e um relacionamento com encontros normais.

(Abre parêntese: absolutamente sensacional a história dos homens peixe e a alga grudada no cabelo dela! Fecha parêntese)

Então era óbvio que esse não seria uma situação que poderia ser mantida por muito tempo. É claro que o Doctor desembarcando na escola em que o casal trabalhava fez com que esse limite de tempo fosse incrivelmente diminuído. E até que o Pink reagiu bem a novidade, dentro do possível, é claro, e com todas as preocupações possíveis por parte de um soldado que cumpriu ordens dos outros sem ter certeza de que fez o que devia ter feito – o passado dele ainda será melhor explorado, eu sei.

Aí temos aquele momento engraçado em que eu gosto mais da Clara quando o namorado está junto. Mais alguém se sentiu assim?

Ah, sim, tínhamos uma máquina assassina alienígena na escola, mas vamos concordar que ela apenas serviu de desculpa para que Clara contasse sobre seu namorado, não é mesmo?

P.S. Ainda que eu goste mais de Clara quando acompanhada de Danny não sei se gostarei da dinâmica Doctor, Clara e Danny na Tardis. Não sei mesmo.

P.S. do P.S. Momento imperdível: o Doctor achando que Clara estava namorando com o professor que parecia demais com sua versão anterior.

P.S. do P.S. do P.S. Missy e a Terra Prometida, agora com ares mais futuristas. Alguém ainda tem alguma aposta? Porque eu desisti de tentar adivinhar.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Doctor citando férias com a River: puro amor!

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Todo episódio tem um robô, perceberam?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Ler essa resenha depois de “Kill the moon” foi engraçado. “Kill the moon” parece confirmar algumas impressões desse episódio, e negar outras.

    Acho o Twelve MUITO parecido com o Nine desde o início (e AMO).

    Vibrei com a referência a River! Tão bom ver que os roteiristas não se esqueceram dela! E quato aos otters, ou lontras, bem, essa é uma antiga brincadeira dos fãs de Sherlock quanto ao próprio. Será que a citação justo desse animal foi mera coincidência? A fangirl que habita em mim quer crer que não.

    Também prefiro a Clara quando o Pink aparece, e acho que não é à toa que ele tem aparecido cada vez mais. O lado ruim é que isso pode significar uma duração maior pra Clara. E não acho que ele vai virar companion, não. Soldado, né, o Doctor tem sérias restrições.

    Acho que essa aparição da Missy derrubou todas as teorias de todos os fãs…

    Responder

    1. Então, e eu nem traduzi otters (que o povo colocou como os outros e me deu arrepio) porque eu nunca sei se são lontras ou nãos ão lontras afinal…. Duvido que tenha sido à toa a citação!!!!

      Eu não sei se isso significa mais da Clara, mas que eles estão desenhando sua saída, seja porque ele é um soldado e o doctor não vai colocá-lo na Tardis, seja porque ele não vai querer… Só esperando para ver.

      Intão, a Missy: li um texto americano falando que essa nova aparição seria a confirmação de que essa seria uma versão da biblioteca aonde River está, que você acha?

      Responder

      1. A teoria parece meio bizarra… mas confesso que adorei! Morro de saudades da River, não me conformo com a ideia de nunca mais vê-la e isso seria uma janela.

        Já imaginou a River interagindo com esse Doctor? Os diálogos mordazes, as caras e bocas??? OMG!

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *