The Following: Forgive (2×15)

A segunda temporada de The Following superou bastante a primeira, provavelmente por ter abandonado de forma completa os “casos da noite” e embarcado na loucura de Joe, talvez porque a diminuição de elenco, nem tão grande, afinal tivemos a chegada da Família Louca, tenha permitido desenvolver as coisas com mais calma.

Ou, ainda, porque, como um colega de outro blog bem disse: nós resolvemos abraçar a incompetência do FBI, a síndrome de super-herói do Ryan e os furos do roteiro e nos divertirmos a valer com o que ganhamos.

the-following-forgive-ryan-claire

Eu acho que a redução de elenco e o foco na loucura de Joe foram sim os principais motivos para tanta melhoria, afinal sempre foi o embate entre Ryan e Joe que mais nos interessava.

Talvez o defeito de Forgive seja justamente não ser sobre o embate dos dois, mas sobre Ryan e Joe salvando Claire, a mulher mais mala dos últimos tempos. Sim, ainda tivemos cenas memoráveis como a dos dois sentados amarrados naquela sala com os irmãos Débi e Lóide, e os diálogos dos dois continuam sendo deliciosos, mas eu prefiro quando eles se desafiam mais.

Do outro lado, foi interessante ver os dois trabalhando com o mesmo objetivo, até porque isso nos permitiu confirmar o quanto os dois realmente são próximos e, bem, que talvez essa seja a ideia de melhor amigo do Joe, de verdade. Finalmente, os dois atores dão um show, então mesmo que eles estivessem dançando Footlose juntos eu nem ligava.

E do duelo dos dois com os irmãos tivemos a perda de Luke. De um lado achei uma pena, eu tinha certa preferência por ele, apesar de, como diria o Joe, não ser grande fã de nenhum dos dois, do outro eles garantiram o que parece ser o mote da próxima temporada: com Joe na cadeia, é Luke quem buscará vingança – naquela viagem louca de que já falei aqui em que apesar deles terem matado um montão de gente, quando morre alguém do lado deles eles querem justiça.

O jantar também permitiu o acerto de outras contas, com os irmãos descobrindo que não foi Ryan que matou sua mãe e com Joe descobrindo que Claire matou Emma. Vamos falar a verdade: a não ser que os roteiristas resolvam ressucitar a Emma, a grande utilidade da Claire na série toda foi só essa.

Até porque, depois de ter saído da proteção à testemunha e quase ter estragado tudo para o Ryan, ela resolveu agora, AGORA, que é melhor se afastar e cuidar do filho dela.

Ah, sim, outra coisa importante DEMAIS: Max e Mike se beijaram!! Ieeeiii! Viu como eles conseguiram mais acertos nesta temporada? Ou fã é tudo besta mesmo?

the-following-forgive-max-mike

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. o grande mistério que o final deixou é saber quem ajudou o maluquinho !

    eu aposto em alguém muito próximo, alguém da família, talvez o pai ou avô

    e outra expectativa é saber como o Joe irá fugir, pois ver ele preso a temporada toda nem tem graça nenhuma

    Responder

    1. Eu fiquei fazendo as contas de quantos vimos dos “irmãos” e quantos morreram, eu tô achando que tem mais algum que passou despercebido, sabe?

      Agora, também tô com medo do gêmeo ressuscitar…

      Apesar de também achar que vai ser chato se o Joe ficar na prisão, mas também seria um absurdo ele escapar de novo depois de tudo que ele fez.

      Agora, fico imaginando algo no estilo Hannibal – o filme – com ele tendo de ajudar o Ryan a pegar o “novo bando” fazendo exigências…

      Responder

  2. Com certeza essa temporada foi beeemmmmmmmmmm, melhor.

    Mas,pelo amor de Deus, não vão ressuscitar mais ninguém , não é mesmo? Já não basta a Claire Mala?

    E o Ryan? Será que poderá arrumar uma namorada que não queira matá-lo ou que não seja um alvo? Torço tanto por ele.

    Responder

  3. Terminando só agora a temporada e concordo com tudo que disse, a temporada foi bem melhor que a primeira, apesar de todas as atitudes inexplicáveis de praticamente todos os personagens. Tivemos a formação de um casal fofo, Max e Mike e o surgimento de psicopatas carismáticas, como Lily e os gêmeos do mal. Será que só eu fiquei torcendo para que Claire finalmente morresse mesmo? Como dois homens interessantes, cada um a seu jeito, podem ser apaixonados por uma mulher tão chata e sem carisma? Só eu lamentei a morte de Luke e Lily? Emma tinha importância, Mandy, depois que matou a mãe, que utilidade teve na série? Para mim, talvez foi o grande erro, eliminar personagens interessantes e salvar novamente uma personagem irritante (Claire). Se bem que não sei se Luke realmente morreu, afinal porque o irmão levou o corpo no carro dirigido pelo ajudante misterioso? Se ele ressuscitar, não acharei ruim, um absurdo a mais ou a menos não fará diferença, e ele é realmente um personagem muito interessante.

    Responder

Deixe uma resposta