Crossing Lines: The Animals (1×07)

Episódio honesto de Crossing Lines: nenhuma grande trama, apesar da surpresa do roubo do banco não ser exatamente um roubo de banco, mas que desceu redondinho e ainda nos trouxe um segredo de Tommy, foco da vez no time de desajustados que Louis parece ter conseguido para si.

Crossing Lines: The Animals (1x07)

Além do recorrente destaque para Carl, dessa vez presente no banco quando o assalto começa e que quase acaba morto porque confiou em quem não devia. A única coisa que me incomoda é que os roteiristas colocam muitas fichas em Carl e, ao mesmo tempo, não nos entregam uma história de verdade sobre o caro. Eu particularmente trocaria todo o tempo gasto com o russo e a morte do menino de Louis por saber como Carl ficou com a mão daquele jeito.

Falando em confiar em quem a gente não deve: tem horas em que eu fico com os dois pés atrás por conta do Dorn. Tudo bem, ele achou as tais escutas na casa do Louis, confortou a esposa do cara e parece saber muito sobre a morte do filho do major, mas tem horas em que eu acho que ele está devendo, de que talvez a morte tenha ocorrido por culpa dele e que ele apenas está buscando redenção. Ou isso ou ele é apaixonado pela esposa do Major e está tentando perdão pelo imperdoável. Não sei o que é pior.

Ainda no aspecto confiança: nenhuma menção ao golpe de Sesbatian, e eu achava que Carl ia levantar alguma bola sobre o assunto, enquanto Tommy escondeu reconhecer um dos assaltantes. Para ser mais exata ele reconheceu o atirador e pediu a sua mãe para transmitir o recado, o que significa que são próximos. Cheguei até pensar que os dois poderiam ser irmãos.

P.S. Dorn enumerando as “qualidades” de cada um dos membros da equipe rendeu ótimos momentos.

P.S. do P.S. Na mesma semana eu assisti a um episódio de Numb3rs em que um roubo a banco não era um roubo a banco. Dêem um desconto a minha falta de empolgação.

P.S. do P.S. do P.S. Como o Tommy é lindo, não é não?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Eu acho muito chato aquela estoria do filho do major. Não dá prá saber o que e a quanto tempo aconteceu, mas me dá raiva de gente que não segue com a vida, obrigando todo mundo a participar do luto.

    Responder

  2. ahhhh vibrei por motivos totalmente diferentes ao do episódio, vibrei pois adorei o reencontro de 2 atores de Prison Break neste episódio, o Mahone que é o Hickman e o Whistler (Chris Vance)

    saudades de Prison Break … até acredito que esse reencontro foi provocado

    concordo que essa histório do filho do major está um porre, prefiro saber o que acontece com o Hickman / Sebastian e Tommy

    Responder

  3. A história do filho do major é um pouco cansativa, mas pode reparar, toda série policial sempre tem alguém preso ao passado, querendo justiça, o que na verdade se transforma em vingança.

    Responder

Deixe uma resposta