Touch: Entanglement (01×05)

Arthur Teller. Apenas algumas cenas nos episódios anteriores acabam por ganhar importância, já que ele parece ser o único além de Martin disposto a ver e entender os números revelados por Jake. O problema é que o passado comprova que este é um caminho talvez sem volta.

Arthur perdeu tudo, ou tudo lhe foi tirado, como ele repete, por causa de sua busca. E agora Martin corre o risco de perder Jake por conta do mesmo motivo. Resta esperar, e torcer, para que em algum momento os números ajudem Martin nisso, de alguma maneira, porque até aqui eles trouxeram muito azar.

Só azar para explicar como ele consegue sair de um roubo de computador e sentar ao lado de uma mulher com uma arma e ainda assim tudo isso ser o preciso para ligar as histórias da noite.

E seguir os conselhos de Arthur parece diretamente relacionado com esse azar, afinal parece que este não é o primeiro menino com esse “dom” e que existiria um plano maior para essa sequência de números que nos é apresentada – criando a tal mitologia da série que todos andavam querendo tanto.

Para a criação da mitologia perdemos um pouco do tempo antes dedicado a conexão das histórias paralelas e talvez isso tenha tirado um pouco do charme que tivemos no episódio passado, ainda assim foi interessante ver, de novo, como um pequeno detalhe pode fazer tanta diferença na vida de pessoas em lados opostos do mundo.

E que o amor tenha encontrado seu lugar, seja num casal improvável, seja numa fita cassete encontrada depois de muito, muito tempo.

Os fios que nos conectam não se limitam ao espaço e ao tempo. O que parece, de um lado, uma reviravolta, em outra perspectiva, são esses fios se esticando. Como as coisas sempre deveriam ter sido. E mesmo quando esses fios parecem muito desgastados… Eles nunca partem. Não totalmente. Mas, às vezes, a ligação mais importante está no aqui e no agora.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Adorei o episódio, aliás, como todos, até agora! Adoro ver tudo enrolado e o decorrer da história vai desenrolando e mostrando as ligações. Só achei que exageraram nas garotas fazendo um parto, garotas virgens e que nunca viram nada daquilo.

    Responder

Deixe uma resposta