Falling Skies: Grace (01×04)

Reavaliando o seriado até aqui, pensando no conjunto de episódios, concluo que Falling Skies vem num crescendo: depois de um primeiro episódio bastante lento, um segundo em que você começa a ver pouco mais do conflito, um terceiro que termina em alta após vermos Tom arrastando um dos extraterrestres escola acima, em Grace vários momentos de tensão são oferecidos e, fácil fácil, eu o classifico como o melhor episódio até aqui.

É claro que o mistério por trás do efeito do tal arreio nas crianças – ao que parece é como se elas se tornassem extensões do extraterrestre que comanda o seu grupo – foi a melhor sacada da história, já que as brigas entre extraterrestres e humanos pouca chance tem de oferecer algo de novo.

Eu fiquei particularmente impressionada – não sei se é essa mesmo a palavra, mas não achei outra – tanto quando o menino coloca o arreio de volta nas costas como quando o pai retira em desespero e sem nenhum cuidado. Será que o menino morreu?

Também gostei muito de toda a aproximação da pediatra e do extraterrestre – assim como ela e o líder do grupo (ainda não guardei nomes e no caso do líder eu não consigo esquecer dele em Band Of Brothers) acredito que a chave do sucesso está em descobrir mais sobre eles e suas intenções – e fiquei com uma raiva enorme do tal médico bonzão. Acho até que nos deixar com raiva por suas atitudes acaba funcionando para nos aproximar de Tom, não é mesmo?

No final das contas, gostei muito e fiquei realmente curiosa para saber mais sobre o tal arreio. Motivos suficientes para que eu fique bem feliz com a já confirmada segunda temporada.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Já disse que torço pelos Ets?

    Achei a cena da pediatra com o feioso, no mínimo, patética!

    Me deu ódio, mas dá pra entender… quando, finalmente, conseguiram estabelecer diálogo com o visitante, o pai do garoto corta tudo!!!!

    Responder

Deixe uma resposta