Criminal Minds: 25 To Life (06×11)

Apesar de ter gostado desse episódio, eu achei que ele estava recheado de furos. Entendam, eu fiquei aflita querendo que Morgan conseguisse provar que ele estava certo, mas, ao mesmo tempo, eu tinha certeza de que a possibilidade dele estar errado era mínima, de que eles não iam fazer isso. Talvez isso tenha tirado parte da graça, talvez tenha sido o fato de que o trabalho que levou um inocente para a cadeia foi de uma falta de qualidade absurda – trabalho de porco mesmo.

Então soa estranho que o processo, com tão poucas provas, uma condenação circunstancial, nunca tenha sido revisto em 20 anos.

Também não convence Morgan entrando na festa de um congressista, batendo palmas e chamando a atenção. Mais: em nenhum momento daquele teatro todo o culpado fala algo que justifique sua prisão, e minutos antes nós víamos Strauss desfiar a falta de provas como motivo para não se meter em política.

Acho que, no final das contas, a ideia do episódio funcionou melhor que o episódio em si.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. Menina, concordo Ipsis literis contigo. O episódio “todo” me deixou bastante incomodada e a entrada do Morgan batendo palmas me fz sentir vergonha alheia.

    Algo que eu acho estranho nesta série e nas CSIs, é o fato deles, cientistas, invadirem cativeiros/casas; efetuarem a prisão, etc. Não estou lembrada, mas parece que nas séires fora dos EUA não ocorre isso. A minha bronca é que, ou vc se concentra na teoria do caso ou se concentra em tiro ao alvo, ou algo do gênero.

    Responder

  2. Achei este o episodio mais fraco da temporada. E aquela nova personagem parece que trabalha a base de sedativo ou depressivo…. Tem cara de sonsa.. Mesmo lidando com os casos mais bizarros, vemos que cada caso tocam eles de alguma forma e deixam transparecer suas emoções. Essa personagem não…fica sempre com aquela expressão de morta!! Não gostei dela.

    Concordo com o que a Libriane escreveu. O mesmo perito forense que faz a analise da cena do crime é o policial q invade o cativeiro e prende o bandido. Ou vc faz uma coisa ou faz outra. As duas, as mesmo tempo, é sinonimo de serviço mal feito….

    Responder

  3. Olá.
    Faço minhas as palavras da Libriane e da Márcia. Nunca digeri bem essa dos perítos serem os autores das prisões, o só ficaria crivel se ato da colheita das provas, no local do crime, houvesse a necessidade de prisão em flagrante. No mais, eles apenas processam o material, analisando-o e encaminhando seus laudos para que o pessoal de campo efetuasse a prisão, No mais, o melhor e fazermos de conta. Como li em um livro escrito por uma CSI aposentada, a função deles não é nada glamurosa.
    boa semana para vcs e bons episódios para nós. rsrsrsr
    Zé Luis

    Responder

  4. Então….a ideia do episodio foi excelente…mto boa msm…cheguei a ficar com pena do Morgan pelo equivoco que ele poderia ter cometido. Passei o episodio tensa com isso, mas o final confesso que me incomodou…a cena dele entrando na festa e batendo palmas, isso foi mto estranho…e fato, o cara nao disse absolutamente nada…nao entendi como acabar o episodio ali se o cara nao disse nada….

    Mas enfim, fiquei curiosa msm foi com o comercial do proximo episodio…o que o Reid tem??? Aiiii fiquei tão nervosa e preocupada com ele….nao vejo a hora de passar logo o inedito!!!!

    Responder

  5. Eu sei lá, acho que Morgan sambou entrando e batendo palmas :v eu pessoalmente nunca gostei daquela loira novinha (cujo nome é esquecível), mas também nunca odiei ela. Acho que faltou presença feminina nesse caso, pois, fora a Prentiss brilhosa <3 , só tinha a loira que é meio inútilzinha '-'

    Responder

Deixe uma resposta