Criminal Minds: The Instincts (04×06)

Criminal Minds The Instincts S04E06
* Texto elaborado, originalmente, para publicação no Teleséries

The Instincts é um daqueles episódios que seguem um formato bastante amarrado, bem a cara do seriado, mas entrega entretenimento de primeira: você fica tenso, você não sabe de quem desconfiar e você fica realmente envolvido, torcendo para que a equipe consiga salvar a vítima. Ah, e o que é melhor: é um episódio em que a equipe fica em destaque.

É claro que todos têm nossos favoritos. E eu nunca escondi minha paixão por Spencer e Garcia, talvez decorrente do fato dos dois fugirem daquilo creditado como padrão de heróis de seriados e filmes de ação. Se tivemos muito pouco de Garcia, tivemos muito de Spencer, inclusive com uma revelação importante sobre seu passado.

No caso de Spencer podemos dizer que ele realmente foge do padrão. Ele não é um excelente psicólogo para traçar perfis, nem ao menos é um agente do FBI quando se trata de defender a si ou os outros. Mas a sua mente guarda um sem número de informações e padrões que ele acaba chegando a conclusões de uma maneira muito mais fácil e rápida que os demais. Realmente é como se ele fosse um pequeno computador.

Além de Spencer, foi JJ quem também teve destaque do episódio, participando muito mais da investigação como apoio e cobrança para Amy Bridges (Kari Matchett), mãe do menino desaparecido, numa linha um pouco clichê, mas não menos verdadeira, de que mães acabam por se entender de uma forma diferente dos demais seres-humanos.

Sua participação maior no episódio também pode ser decorrente do fato de que logo logo nos despediremos dela, para que ela possa curtir sua licença maternidade, e talvez os roteiristas tenham resolvido fazer algo especial.

Adorei o episódio, mas sei enxergar seus defeitos. Dois momentos foram especialmente previsíveis para mim: o fato de saber que o homem que filmava o enterro não era o criminoso e a verdade por trás da partida da mãe de Spencer, a excelente Jane Lynch.

A surpresa acabou pela descoberta de que tratava-se de uma criminosa e não um criminoso, a despeito das estatísticas, e talvez isso tenha sido a chave para que o menino tenha escapado e esse tenha sido um episódio com final feliz. Daqueles que faz com que os demais dias tenham valido a pena.

No caso do pai de Spencer: a verdade por trás da fuga de sua mãe, quem sabe também o gatilho para sua doença, deve afetar a maneira como Reid conduz seu trabalho a partir de agora – ou deveria, já que sabemos que os roteiristas do seriado não se dão muito bem com continuidade de histórias – e acabou por me lembrar de Law&Order Criminal Intent.

Criminal Minds The Instincts Spencer

Na verdade, com isso, eu acabei por comprar Reid e Goren, dois de meus personagens preferidos na televisão atual. Ambos tiveram pais assassinos, ambos tiveram mães que desenvolveram doenças mentais, ambos acabaram por escolher caminhos profissionais que acabam por obrigá-los a conviver com criminosos o tempo todo. Várias coincidências, mas, no final das contas, os dois são tão diferentes entre si.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta