Grey’s Anatomy: Forever Young e Crash Into Me (04×08 e 04×09)

Grey’s Anatomy: Não foi abandono não

Tá, eu nem falei de Forever Young (04×08) nem de Crash Into Me (04×09). Do primeiro não falei por não curtir muito: Bailey toda bobinha pelo amor de escola?? Sariously? Do segundo porque ainda não tirei da cabeça aquela veia aberta jorrando sangue por todo lado (200% ARGH).

Mas, falando sério, Forever Young está longe de ser um dos meus preferidos. Na realidade, ele fica na lista inversa… Ou no meio da lista, entre aqueles dos quais não gostei nem desgostei…

O episódio, que começa sensacional com Bailey festejando seu primeiro dia como residente chefe, termina com ela levando bronca de Hahn porque não prestou a atenção em seu serviço. Depois dela ter passado o episódio todo se derretendo como garotinha e preenchendo formulários médicos para o cara. Justo Bailey, que sempre teve como características não deixar o pessoal e o profissional se misturarem.

Mas gostei de Derek assumindo que era um dos perdidos na escola, membro da banda desprezado, como Bailey (se lembrarmos do filme em que ele dança a dança do Tatu ou algo que o valha no baile de formatura não fica difícil de acreditarmos).

Também gostei da maneira como terminaram o desastroso relacionamento de Izzie e George, com eles tentando reconstruir sua amizade, e com o retorno do pai de Meredith. Apesar de eu sempre ficar fula da vida de como tudo dá errado para a protagonista. Ela tava toda feliz com o que o pai falou e TOIM: porrada da Lexie jogando um balde de realidade na cara dela.

Ah, ta, a cena do lápis no olho do moleque foi impressionante… Mas eu não imaginava o que viria no final do episódio seguinte…

Crash Into Me tem grandes, enormes, chances de ser o melhor episódio da temporada, ou melhor, a dupla Crash Into Me, já que essa foi só a primeira parte, tende a demonstrar que o formato de episódio evento que marca as temporadas de GA pode funcionar (na temporada passada não fomos tão felizes).

O episódio começa com Bailey e o marido tendo uma discussão matinal sobre a dedicação dela ao hospital e ao bebê (ele é mais um dos maridos que resolve ficar em casa). Na realidade é a discussão que não tem fim: quando ela engravidou, ela já levava essa vida. Quando ele resolveu ficar em casa, ele já sabia como seria.

Devo ser prática demais, mas para mim é simples assim: o que é acordado não sai caro.

O fato dele ter parado de trabalhar em nada ajuda: mente vazia é oficina do diabo. Se fosse o contrário ia dar no mesmo.

E o dia dela, que não começou fácil, só ficou mais difícil com o passar do tempo: ela precisa operar um paramédico ferido que tem tatuada uma suástica em seu abdômen. E ele de maneira alguma esconde seu preconceito. Ali sim, Bailey mostrou a mulher forte que é, a ótima profissional cumprindo seu dever… E aí você volta a pensar em como ela abestalhada pela paixão da escola não tinha nada a ver.

A parceira do nazista acaba na sala de cirurgia de Derek, Rose é a enfermeira que lhe auxilia (nunca tinha aparecido, agora ta em tudo que é lugar) e os monitores, que tornariam a cirurgia simples, quebram. Essa história ficou para a segunda parte, o melhor gancho da história.

Enquanto isso, Meredith conta com Richard para ajudá-la a enfrentar outros medos e então salvarem um paramédico preso em uma ambulância capotada. E, vamos encarar, Cristina não tem ajudado muito.

Ava novamente aparece e Alex a coloca na galeria assistindo a uma cirurgia de coração, colocando ela lado a lado com Lexie. É claro que as duas ficaram de papo e é claro que Lexie foi quem saiu magoada, essa menina precisa aprender a abrir a boca com relação a sua vida pessoal, se não sempre será a que sai perdendo.

O episódio acaba a carótida de um paciente arrebentando em Lexie… E eu tinha achado a cena do lápis forte, tá bom.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Era a Dança do Tamanduá Africano . Tem até no youtube ( http://www.youtube.com/watch?v=Ki00FPYstl0) E ele realmente melhorou muuuuito. 🙂
    Ao contrário da maioria não achei absurdo a Bailey babar pela paixão da escola. Ninguém tem 100% de controle sobre suas ações.
    Mas com certeza o episódio da semana passada foi o melhor até aqui da temporada. Aguardando ansiosa a segunda parte hoje.

    Responder

Deixe uma resposta