Equilíbrio, para não cair da bicicleta, nem na vida

keep calm e vem pro piqueniqueNa sexta eu estava no Rio de Janeiro lindo, cidade que te contagia desde o momento em que você avista a orla pela janelinha do avião – obrigada Flávia, colega de voo querida que me deixou ir na janela, eu não consigo me imaginar chegando ao Rio sem poder ver  a paisagem – em ótima companhia e num clima invejável: um piquenique em pleno jardim do MAM em meio a risadas e brincadeiras, mesmo para falar de coisas sérias.

Era um encontro do pessoal que faz parte do Viva Positivamente e o objetivo era falar sobre Balanço Energético, o equilíbrio entre o que a gente consome em calorias e gasta em nosso dia a dia.

Quem me conhece sabe que essa é uma das minhas bandeiras e não só quando o assunto é comer e gastar, mas também quando o assunto é aproveitar melhor as coisas que a vida nos oferece: trabalhar com o que se gosta e pessoas que se gosta, mas sem ser demais e sem que isso se torne um peso, fazer pausas na correria para apreciar o dia, afofar os peludos, aprender e também se divertir.

Nem tudo que a gente come tem que fazer bem, pode ser um agrado; nem tudo que a gente faz tem que ser produtivo, pode ser apenas diversão. Ninguém é feliz só trabalhando, mas ninguém é realmente feliz se só viver na farra.

E quem estava lá para falar com o grupo foi o doutor Victor Matsudo, um dos responsáveis pelo Agita São Paulo e de quem eu já era fã, e a doutora Claudia Cravo.

“Não precisa ser um atleta ou ter um corpo de modelo para deixar de ser ocioso. Para se ter uma ideia, o risco de morte de um gordo que se exercita é menor do que o de um magro sedentário. Nunca é tarde para começar, nem que sejam 10 minutos de caminhada ou subir as escadas caminhando ao invés de usar o elevador ou escada rolante. Só depende de nós”, afirmou Dr. Matsudo.

Sim, esqueça aquela história de no mínimo 30 minutos de atividade consecutivos, que só vale correr e caminhar em determinado ritmo, quando o assunto é saúde o que precisa é não ficar parado, deixar o carro em casa, ou estacioná-lo mais longe, trocar o elevador pela escada – e vale tanto subir como descer, descer 3 andares equivale a subir um -, ir para a padaria a pé ou passear com seu cachorro.

Você sabia, inclusive, que ao contrário do que a maioria acredita o gasto de calorias será maior se você dividi-lo em 3 períodos de 10 minutos, por exemplo, do que 30 minutos direto?

E quando o assunto é se alimentar após uma atividade física vale o alerta: espere de vinte a trinta minutos, período em que o corpo ainda está gastando calorias, antes de consumir algo, assim seu corpo continua gastando energia acumulada nas gordurinhas.

Agora uma dica de quem já anda fazendo isso nos últimos anos: essas caminhadas utilitárias são ótimas, você nem percebe que o tempo passou, e ajudam a refletir sobre a vida – aparece cada ideia boa – e servem para muita conversa com filhos e amigos.

Na verdade, eu percebi claramente o quanto a Carol gosta de conversar mais quando estamos lado a lado caminhando do que quando ela está no banco de trás do carro.

E, para finalizar, um momento lindo registrado pelo fotografo contratado pela Coca para o evento e que mostra muito bem o quanto foi bom esse dia. Acredito firmemente que boas risadas gastam calorias extras.

piquenique viva positivamente

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *