Cinema: John Wick 3 – Parabellum

Participando do The Late Show como parte da divulgação do lançamento de John Wick 3 – Parabellum, que chega aos cinemas nesta quinta-feira, dia 16 de maio, Keanu Reeves mais de uma vez repetiu a mesma frase ao explicar as cenas de ação do filme “Bom, você sabe, é John Wick”.

John Wick já virou um estilo de personagem, um estilo de luta, um estilo de cena, um estilo de filme. E o terceiro longa da série honra essa verdade, se saindo ainda melhor que o seu antecessor.

Se tudo começou por causa de um cachorro – não assistiu aos filmes anteriores? Corra, eles estão disponíveis na Netflix (o primeiro) e Amazon Prime Video (o segundo), mas Reeves te ajuda explicando tudo nesse vídeo aqui de 60 segundos -, continuou por causa de um carro, bem, agora John está procurando uma chance de sair de novo do mundo do crime, algo que da primeira vez já foi difícil.

O filme começa no exato instante em que o anterior terminou: John Wick desrespeitou a única regra do Continental e matou um “colega” dentro do hotel. O preço de seu erro é ser banido de qualquer privilégio do mundo do crime e US$ 14 milhões por sua cabeça.

E, aqui entre nós, teria muita gente disposta a matá-lo só pela honra de acabar com uma lenda… Se é possível lucrar com isso, ninguém vai reclamar.

Dirigido por Chad Stahelski, responsável pelos primeiros filmes da franquia e diretor de V de Vingança, Parabellum não economiza nas cenas de ação, em sua maioria feitas pelo próprio Reeves (segundo o ator o dublê só entrava em ação nas cenas com chance de morte MESMO) e nos enche os olhos com as já conhecidas coreografias das lutas – tem muitos tiros, facas, livros e cavalos (não escrevi errado, não) – que tem sido citadas como as melhores da série.

Além dos rostos já conhecidos de Ian McShane e Laurence Fishburne, o filme tem a participação muito especial de Anjelica Houston e Halle Berry. Halle interpreta uma antiga conexão de Wick que hoje mora no lindo Marrocos na companhia de dois cachorros muito bem treinados – com os quais a atriz realmente treinou por mais de seis meses, a conexão e sincronicidade entre eles é absurda na tela.

Além deles, Wick enfrenta em cena dois mestres das artes marciais: Mark Dacascos (Agents of Shield) e Yayan Ruhian não somente se mostram adversários a altura como ainda conseguem cativar a audiência, tornando tudo ainda mais divertido.

E, para alegria dos fãs, tudo indica que este não será a última vez em que veremos o assassino em ação.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *