Chicago PD: The Thing About Heroes (5×02)

Quando foi anunciado como novo showrunner de Chicago PD, Rick Eid anunciou que traria mais problemas sociais da vida real da cidade para a série e ao que parece ele não perdeu tempo algum: no primeiro episódio a questão da polícia versus a comunidade negra, aqui a abordagem do medo dos terroristas se tornar uma nova forma de preconceito.

Quando um atentado à bomba aponta para terroristas muçulmanos, não demora nem cinco minutos para um policial muçulmano desaparecido após o crime ser incluído no bolsão de suspeitos. Mais que isso: rapidamente os grandões da polícia apontam para ele como culpado nas grandes coletivas que acontecem depois de coisas assim.

Coube a Burgess manter-se firme no que acreditava (ela que tinha passado tempo com o policial enquanto este estava sendo treinado) e buscar a verdade ao invés de algo que simplesmente deixasse satisfeitos quem estava aterrorizados. Diga-se de passagem Burgess arrasou no episódio, do começo ao fim, uma clara demonstração do quanto a personagem amadureceu desde os primeiros episódios no carro de patrulha.

E, além de ser um ótimo episódio, muito afinado, não fica esquecido que ele foi exibido logo após os EUA terem mais um atendado. Um atentado a tiros por um homem branco americano. No final das contas a reflexão que o enredo traz é mais do que válida em tempos tão obscuros em que andamos vivendo (americanos e brasileiros).

É um daqueles episódios em que a gente não fica realmente feliz quando acaba, não fica aliviado. Ainda mais por vermos apenas Burgess e Voight realmente brigando pelo policial agora morto. Pensei em Voight falando do quanto se sentia sozinho no episódio passado, acho que os dois vão se ajudar bastante.

P.S. Burgess amadureceu, disso sabemos, mas a verdade é que a personagem sempre foi aquela policial que carrega a vocação nos olhos e nos atos. E, vejam, ela é a novata no departamento, mas não vemos nenhum dos outros personagens questionar Voight como ela faz quando vê uma injustiça. Uma personagem feminina assim me faz um bem enorme!

P.S. do P.S. Mas eles definitivamente precisam acertar o tom da Uptom para que ela não acabe desaparecendo na tentativa de ser uma nova Lindsey.

P.S. do P.S. do P.S. Jay teve de encarar a lembrança do infeliz acontecimento do episódio passado ao ter de atirar na terroristas. Não deve ter sido fácil.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Eu nunca ia querer ter meu nome na lista do Voight, meus amigos. Acho que ninguém deveria.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *