Chicago PD: Last Minute Resistance (4×19)

A única coisa que eu queria ao final deste episódio de Chicago PD era abraçar a Burgess, definitivamente não foi um dia fácil para a policial. Eu nem ao menos imagino o que é acordar e perceber que sua irmã não voltou para casa, ligar e o celular nem ao menos tocar, ainda mais quando se vê o quanto de maldade o ser humano todos os dias.

Ao mesmo tempo, justamente por ter sido colocada em seu limite, foi o melhor episódio da personagem nesta temporada. Não que eu concorde com um policial envolvido de forma tão pessoal em um caso continue trabalhando nele, mas nós sabemos que é assim que funciona na Inteligência, então era de se esperar.

A trama ter passado por um babaca que ensina outros a ignorar o que uma garota realmente quer já havia sido usada em Criminal Minds, mas definitivamente o babaca aqui era pior e desta vez eu realmente acho que existia motivo para processá-lo por seu curso, afinal ele literalmente incentivava o estupro ao dizer que “um não na verdade é um sim”.

Inclusive eu aproveitaria o ódio da Burgess e não surraria só o assassino, deixaria a policial por uns momentos com ele naquele lugar em que o Voight o encontrou, acho que ele merecia – assim como o ex-marido babaca que passou uma bela vergonha na frente de vários policiais.

Outro mérito do episódio: a forma como a equipe vai descobrindo e juntando as pistas. Acho que ando tão cansada da forma como as coisas andam sendo conduzidas nas outras séries (descobertas praticamente milagrosas), que é ótimo ver o bom e velho trabalho investigativo em curso.

O elogio de Voight ao final para Burgess foi muito merecido e ele garante que ela continua tendo seu lugar quando voltar de cuidar de sua irmã.

P.S. Pelo tanto que Burgess participou hoje é preciso elogiar a forma como eles conseguiram disfarçar a gravidez da atriz. A licença da policial para cuidar da irmã foi a perfeita desculpa para que a atriz pudesse sair de licença maternidade e curtir seu bebê. Viram, roteiristas de Grey’s Anatomy, como não é preciso estragar tudo?

P.S. do P.S. Não sei vocês, mas toda vez que o Voight é paizão eu fico com os olhos marejados.

P.S. do P.S. do P.S. Hummm, aquele batom da Platt me parece útil.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Foi de longe o melhor meio para um personagem tirar uma folga por conta da gravidez da atriz, só lidei quando a Burgess mesmo pede ao Hank umas semanas para cuidar de tudo, foi aí que eu pensei : ótima saída que os roteiristas deram !!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *