Chicago PD: Seven Indictments (4×14)

Se quando um episódio de Chicago Med é bom a gente estranha, em Chicago PD a questão é encontrar elogios diferentes para cada episódio sensacional que a série entrega. E, sim, Seven Indictments é mais um deles.

O nome faz referência direta a desconfiança que o restante da equipe passa a ter por Rixton depois de uma fofoca de corredor. Sem saber direito o que está acontecendo e arriscando o pescoço todos os dias não deve ser realmente fácil receber alguém de fora na equipe, menos ainda quando a rádio peão não revela nada a não ser o “não confie nele”.

Voight resolve que não vai deixar Rixton dizer o que estava realmente acontecendo e se alguém ficou com a pulga atrás da orelha eu entendo, poderia ser apenas ele tentando ajudar alguém a se redimir como ele vem tentado se redimir diariamente. Mas algo me dizia ali que ele apenas estava querendo ver até onde os demais iam e foi exatamente isso que ele fez.

Como descobrimos ao final Rixton não tinha qualquer motivo para ter vergonha e foi bom saber disso depois de Jay e os demais pedirem desculpas públicas por terem desconfiado dele. Se é difícil receber alguém novo na equipe e confiar quando se arrisca o pescoço, como eu disse acima, melhor ainda é saber que pode confiar na pessoa ao seu lado acima de tudo.

E a trama da noite também deu trabalho, alguém aí parou contando as reviravoltas? Primeiro o locatário do apartamento, depois o cara que tinha vida dupla e então a revelação final de que o incêndio foi uma forma do criminoso e sua esposa começarem uma nova vida de golpes.

E eu juro que até o momento em que o mendigo falou da porta vermelha eu achava que a história dele e Platt era apenas um paralelo para nos mostrar de novo o valor da supervisora da delegacia. No momento em que ele falou da porta vermelha e que Júpiter era o maior dos planetas eu quase sai pulando do sofá, feliz da vida deles terem me enganado.

Melhor ainda foi ver Lindsey torcendo o braço da mulher que a enganou.

P.S. Tá, a gente já sabia que Ruzek e Burgess iam voltar. Ela não terminou com ele por não amá-lo, mas por ele ser bundão. O problema é que eu não sei se ele deixou de ser bundão.

P.S. do P.S. E a vontade de dar na cara daquele pai preconceituoso? Só eu?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Uhuuuu …. o Ruzek voltou e já de boa com a Burgess, esse povo nem demorou \o/

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *