Grey’s Anatomy: Why Try to Change Me Now (13×07)

Não adianta, se houver jeito fácil ele será ignorado e os roteiristas de Grey’s Anatomy farão questão de fazer as coisas da forma mais complicada possível. Não basta contar uma boa história, tem que ser com muito drama, de preferência com alguém sofrendo muito.

Vamos pegar essa história da nova consultora, uma especialista em rever processos em hospitais: uma chance legal de mostrar o que poderia ser melhor, ser diferente, quem sabe introduzir uma nova personagem na série que possa surpreender. O que os roteiristas dizem? Até faremos isso, mas primeiro vamos fazer com que os personagens e vocês achem que ela é uma bruxa, horrível e intrometida. Depois a gente faz uma cena bem legal mostrando como ela pode realmente ajudá-los e, finalmente, a gente lembra a todo mundo que isso pode significar o Richard perder seu emprego e vocês vão todos ficar chateados porque tudo é assim complicado.

Sim, eu sei, a vida é complicada mesmo. Seria bom ver não ser para variar um pouco.

Eu gostei muito da Eliza, ela só foi muito intrometida com a Meredith, para ajudar a gente sabe que a Grey restante odeia uma mudança. Gostei mais ainda quando ela disse não precisar anotar o nome da Arizona, ainda mais com aquele rosto. Que ela seja a nova namorada da Arizona, Minha Nossa Senhora dos Seriados, e não a Leah!

E a cena da estranha cirurgia da Amelia com Hunt embaixo da mesa – e ele recebendo isso super numa boa – foi uma amostra de como as coisas podem dar certo quando o pessoal se arrisca. Na verdade, fiquei pensando agora, nas primeiras temporadas eles usavam isso de cirurgias diferentes muito mais e eu sempre adorei.

Ainda, deixo claro que tudo isso poderia ser feito sem a entrada de uma consultora – quase nova responsável pelo programa de residentes – com uma conversa séria. Miranda, Richard e a Catherine falando sobre os problemas, Richard sendo intimado a apresentar um projeto. Ao que parece, novamente, os roteiristas acham que conversas são irrelevantes, melhor já partir para a briga.

Isso chateia mais ao nos lembrarmos o quanto Richard ensinou a cada um dos médicos que hoje estão lá dando brilho ao hospital, começando pela Bailey, que no desespero de satisfazer Catherine, correu para o lado errado.

Drama, drama, drama. Adoramos drama, mas é melhor quando ele tem porque acontecer, não é?

P.S. Jackson e April e o Cupid. Gente, sabemos que eles ficarão juntos de uma vez. Eles sabem disso.

P.S. do P.S. Amelia, Amelia, Amelia. Por que? Por que? Por que? Não, você não contou ao Owen, você jogou uma bomba na cara dele e partiu. Horrível. Cruel mesmo.

P.S. do P.S. do P.S. Sim, é um hospital escola, mas aqui entre nós, um pouco de risco e um pouco de cuidado. Simplesmente considerar que os médicos em volta dos atendentes e residentes poderão salvar o dia não me parece uma boa estratégia.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Pelo menos uma vez o Alex ficou feliz de não estar “lá em cima”.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *