NCIS: Privileged Information (14×03)

Eu poderia falar sobre um monte de coisas deste episódio, mais um na lista dos ótimos, mas vamos parar por um momento e simplesmente olhar para Abby, Juan e Gibbs. Eu nem sei o que senti quando eu o vi atravessando a sala dos agentes no andar de cima. Ou quando ele começou a chamar pelo Gibbs. Ou tendo aprendido com Palmer a frase que parece já ter se tornado marca do personagem (foi o Gibbs que disse): “Don’t Tell Gibbs!”.

Claro, minha preferência por abrir este resenha falando de Juan também pode significar outra coisa: ainda que eu tenha gostado muito do episódio, a grande verdade é que ele vai para a galeria dos episódios divertidos de Gibbs e será esquecido até que eu pegue uma reprise dele no AXN e assista de novo. Do lado bom: quando isso acontecer, eu vou me divertir de novo.

Não é qualquer série que te oferece episódios assim, eu lhe garanto.

Se eu desconfiei do zelador logo em sua primeira aparição? Não. Mas quando ele entregou a tal fita de segurança super rápido e se mostrou tão prestativo eu comecei a desconfiar que algo ali não cheirava bem. Ainda assim fui incapaz de imaginar uma trama tão complexa que envolvesse o vizinho velhinho do andar debaixo como o assassinato que a fuzileira se sentia culpada por saber quem realizou e que ele foi disfarçado como uma morte comum.

Assim como Fornell eu estava apostando as minhas fichas em alguma trama complexa envolvendo milionários fornecedores de armas e segurança fora do país e algum crime cometido no Oriente Médio.

Do lado bom, ao escolherem um crime “caseiro”, acabaram por surpreender a gente.

Outros motivos para gostar do episódio: McGee sendo o agente responsável; McGee e Torres; Juan; doutora Grace e Gibbs deixando Fornell no sofá e indo tomar Whisky no porão; Torres com medo de alguma maldição porque o velhinho morreu no apartamento (enquanto Dinozzo aproveitou o fato de um apartamento ficou mais barato por causa de um assassinato); Ducky e Quinn e sua forma de se conectar com as vítimas.

Falei que tinha sido um ótimo episódio, não falei?

P.S. O destaque para o Juan não foi só meu, não. Dá uma olhadinha na galeria do episódio no site da CBS clicando aqui.

P.S. do P.S. O episódio presta homenagem a Gary Glasberg. Gary era o showrunner de NCIS e NCIS: New Orleans e faleceu em setembro deste ano.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Achei maldade o McGee e Bishop não terem dado a dica do apto para o Torres, explicar que o Tony conseguiu um apto maravilhoso por um preço baixo por conta de um crime, e olha que ele foi bem feliz no apto.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *