Chicago PD: All Cylinders Firing (4×03)

Confesso que eu não confio muito nos roteiristas da franquia Chicago e por mais de um momento eu fiquei morrendo de medo de ficarmos sem a Platt. Porque se eles são capazes de entregarem episódios absolutamente inesquecíveis como este logo no começo da temporada, bem, eles também são capazes de ferrarem com nossos personagens queridos sem pestanejar.

All Cylinders Firing já começa nos deixando fora de si quando Platt é atacada em seu carro e eu parecia sentir cada soco. Num primeiro momento pensei que o ataque tinha relação com o tal capitão que ela enfrentou no episódio passado, até que o resto da equipe encontrou o pai dela na casa destruída.

Neste momento eu me perdi e fiquei como o pessoal da Inteligência tentando juntar pistas e descobrir porque afinal isso tudo tinha acontecido.

E, depois de descobrir que o pai de Platt era o verdadeiro alvo, o que não faltavam eram suspeitos. Primeiro a namorada trambiqueira e o amante, depois todo tipo de bandido com quem ele se relacionou ao longo do caminho. Confesso que eu não esperava isso do pai dela, até imaginava que ele não era o melhor cara, mas esse nível de trambique, a ponto de passar suas propriedades para o nome dela sem que ela soubesse e acabasse por colocar um alvo nas costas dela? Não esperava mesmo.

Mas Platt conhecia o pai bem melhor que nós, não se deixava enganar, e foi capaz de, em uma cama de hospital, juntar pedaços e descobrir o verdadeiro culpado pela morte do pai antes que o pessoal da Inteligência o fizesse.

Temos então a cena do episódio, com Voight e Platt. Foi muito significativo para mim que ele tenha sido a pessoa a impedir que Platt fizesse a coisa errada: ninguém além dele sabe o tamanho que o fantasma da vingança ganha em sua vida.

Um episódio que não foi sobre a equipe de Inteligência de Chicago, mas sobre Trudy Platt, a quem muitos não enxergam no dia a dia, mas que é uma personagem que liga a todos.

Chicago P.D. - Season 4 - All Cylinders Firing 4x03 s04e03

P.S. Elogiei o roteiro, mas  não tenho como deixar de elogiar Amy Morton e Jason Beghe, os dois simplesmente arrasaram no episódio e definitivamente deveríamos ter mais Platt nos episódios.

P.S. do P.S. Burgess também merece muito crédito. A melhor amiga de Platt, ainda que Platt rejeite a ideia de ter uma melhor amiga.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Comecei o episódio com os olhos marejados (confesso sou manteiga derretida). Foi um episódio muito sofrido. Porque teve todo sofrimento da Platt e a lembrança da morte do filho do Voight.

    A cena do Voight e Platt foi linda, ele mais do que ninguém entende o que estava se passando.

    Chicago PD é assim: os personagens são como parentes e amigos, o apego é muito grande.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *