The Good Wife: Iowa e Tracks (7×11 e 7×12)

Impressão minha ou os roteiristas de The Good Wife não sabem direito o que fazer com a revelação de Eli sobre a mensagem apagada? Para quem, como eu, esperava por uma bem vinda virada de Alicia, tivemos uma dupla de episódios que não convencem muito.

Iowa começou no mesmo momento em que o episódio anterior terminava e nos surpreendeu com uma explosão da personagem que simplesmente não soava adequada. Alicia não jogou pratos quando o marido teve suas indiscrições reveladas na mídia, ou quando ele foi para a cadeia, ou quando ela quase perdeu tudo, ou quando ela e ele resolveram tentar de novo e não deu certo, ou em nenhum momento em que ela descobriu que não somente Peter, mas várias pessoas a sua volta, eram capazes de lhe magoar. Will inclusive.

Porque se eu sei que é fácil para Alicia agora só lembrar das coisas boas de Will ou mesmo fantasiar como seria a vida dos dois juntos – mais fácil ainda quando você realmente precisa fugir da sua vida de verdade – a gente precisa lembrar que nem tudo foram flores do lado de lá.

Então, entre a dor da chance perdida e a constatação de que agora ela precisa fazer algo por si própria, eu preferiria ver Alicia colocando Eli para fora do apartamento sem quebrar boa parte dos pratos.

Mas o episódio não centrou nisso e na verdade se desconectou de todas as tramas atuais ao colocar Alicia em um ônibus com Peter em sua campanha presidencial. Pra que? Para que um vídeo de Alicia dizendo odiar no ônibus vazasse? Para que Ruth resolvesse lhe dar conselhos sobre a vida pessoal? Dica para a Ruth: a Alicia escolheu aquele que fez a fraude, então o que ela queria com sua história acabou saindo ao contrário.

Ainda assim o episódio teve seus momentos: Jackie e Howard são bons juntos e a trama, ainda que avulsa, acaba funcionando muito bem. Além disso, ver Howard colocando medo em Lee depois de saber da onde aquele dinheiro realmente tinha vindo foi um daqueles momentos sem preço.

The Good Wife Iowa 7x11 s07 e11 Alicia Eli

Finalmente, o episódio encerra com o prenúncio de algo realmente novo ao invés das requentadas tramas das campanhas de Peter: Eli todo tempo só pensava em Alicia e com Peter enfraquecido, ele enxerga que pode ser o momento de jogar as cartas na mesa.

O único problema é que Alicia não tem a miníma intenção de voltar a falar com ele.

Se Tracks coloca as coisas de novo nos eixos, devo dizer que o convite de Cary para que Alicia volte para a firma me causou arrepios na espinhas: please, please, please, vamos andar para frente ao invés de voltar para trás!!!

Diz ela pouco antes de comemorar a aparição de Rowby. Mas eu adoro o personagem, um retrato bem interessante de um artista cuja mente e o coração não tem nada de lógicos. Colocá-lo encantado por Lucca, então, apenas deu um temporada ainda mais divertido a tudo isso.

The Good Wife Tracks 7x12 s07e12

Rowby de novo está enrolado com sua gravadora – ex-gravadora – e corre pedindo auxílio de quem conhece, o que coloca Cary, Alicia e Lucca trabalhando juntos e foi gostoso de ver. Como eu disse eu não gostei do convite final de Cary, a bem da verdade, quando elas abrem a porta e ele está ali eu torci imensamente para ele falar que gostaria de ser sócio delas, porque ele também não está feliz na firma, ainda que tenha seu sobrenome ali.

E já que estou falando de felicidades: se Alicia não foi feliz em quase momento algum dessa série, acho que pela primeira vez ela está bebendo/vivendo sua “infelicidade”. Algo que, definitivamente, está bem mais com a cara dela que jogar pratos.

Se ela vai perdoar Eli? Acho que sim, mas a questão é que no processo ela precisa perdoar a si mesma, não é legal considerar que você fez uma escolha, no caso ela ficando com Peter, só porque não recebeu a ligação que queria. Alicia devia ter deixado Peter não por Will, mas por si mesma.

Agora, ela não precisava demitir Grace. Cara, pela primeira vez na série eu estava gostando da guria, achando que ela realmente desempenhava uma função. Ela livro Alicia e Lucca de ficarem sem ter onde trabalhar e Alicia a dispensa? Por mais que eu entenda o lado mãe de “eu deveria estar cuidando de você e não o contrário”, as duas estavam tão bem juntas e pelo comentário de Grace ela ainda estava estudando, então… Não sei.

Até porque isso pode significar mais um passo para ela aceitar a proposta de Cary, afinal Lucca está querendo – e para Lucca esta é uma oportunidade que definitivamente não apareceria facilmente, já que a história da própria Alicia começando mais tarde em uma grande firma é a exceção a regra.

E tem o dinheiro. No final, todos precisam pagar suas contas.

P.S. Peter devolvendo o pedaço do lanche foi mil vezes pior que Alicia dizendo que não queria estar lá. Tem político que não tem estômago para política. Ops, lembrei do menino Doria, fazer o que.

P.S. do P.S. Nunca a peruca da Alicia me pareceu tão estranha…

P.S. do P.S. do P.S. E o que Ruth sabe que Eli não sabe?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *