Elementary: Murder Ex Machina (4×09)

Se eu adorei este episódio de Elementary? Sim, com certeza. Se eu desconfiei do chefe moderno super prestativo desde o princípio? Também. A prova de que um bom roteiro salva o episódio, afinal por mais culpado que o moço fosse foi difícil comprovar isso  e pelo meio do caminho a gente pode até mesmo duvidar do governo americano.

Agora o que marcou realmente este episódio foi a ideia de matar os assassinos e assim realmente dificultar que a morte do tal ricaço russo pudesse ser ligado ao mandante. Considerando que desconfiaríamos de um ricaço russo por princípio e nos entregando como suspeitos o chefe de um sindicato (sindicato e máfia sempre estão ligados e não é porque assistimos a filmes demais) e uma empresa de tecnologia que teria roubado um programa bem desenhado por outra, não saber quem pagou pela morte estava fazendo a maior diferença.

E acho que por isso tudo funcionou tão bem: quem além de Sherlock poderia amarrar pontas tão soltas? Até porque a gente não fazia ideia de que o moço havia investido em uma empresa que perderia dinheiro caso o russo fizesse negócios com seus concorrentes – eu fiquei imaginando se ele estava na listinha que o pai de Sherlock passou para a Joan, mas a lista serviu apenas para nos desviar do caminho certo.

Agora, aqui entre nós, do que eu gostei mesmo foram das cenas com Sherlock e Mittens. Principalmente da explicação dela para a generalização do que é autismo – hoje se sabe que o “autista” definido pela mídia, que não olha nos olhos, quase não fala e balança constantemente é extremamente limitada, existindo diferentes graus de limitações e nuances e que, ufa, depois de descobertas tem permitido mais e mais que estas pessoas com cérebros que funcionam de forma diferenciada se insiram na sociedade – e a forma como ela identifica no detetive traços que os dois tem em semelhança.

Elementary Murder Ex Machina 4x09 s04e09

P.S. Quem diria que Clyde é russa e precisa hibernar na geladeira…

P.S. do P.S. A quase morte explica bem melhor porque o pai de Sherlock tentaria se reconectar com ele. Uma pena que isso possa significar mais tristeza para nosso detetive.

P.S. do P.S. do P.S. Sherlock insinuando que Joan pudesse dormir com o pai dele. Eu realmente não sei como ela consegue segurar e não fazer uma careta quando ele solta um comentário como esse.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. se o amigo hacker de Sherlock achou Mittens estranha por ela gostar de gatinhos, então eu sou muitíssimo estranha por amar e ter 22 em casa

    e foi realmente um ótimo episódio

    Responder

Deixe uma resposta