Chicago PD: She’s Got Us (3×22)

Gente, não estava preparada para a saída de Roman. Na verdade eu estava tentando imaginar o que eles fariam depois da relação dele com Burgess veio a público – ainda que Platt tenha defendido que os dois continuassem a ser parceiros, isso seria totalmente contrário a qualquer regra ou simplesmente contra o bom senso -, mas não imaginava que o tiro tivesse como consequência o final da carreira policial de Roman.

E, ainda que o personagem não seja um dos principais ou nem mesmo tão querido, a gente se entristece porque o amor dele pela carreira era evidente.

Não fosse a derrapada dele na hora de chamar Burgess para ir com ele – “eu te amo, pelo menos deve ser” – eu até teria medo da policial topar seguir com ele e os dois, então, estariam fadados a ser infelizes, já que ela também ama ser policial. E também não acho que ela o ame.

Chicago P.D. She's Got Us 3x22 s03e22

No caso da noite, que acabou por gerar um novo crossover – aqui entre nós eu acho que vou parar de falar que é crossover quando forem as séries do Wolf porque ele conseguiu criar tamanha complementariedade entre as séries que a hashtag #OneChicago tem toda a razão de ser – com a participação crucial do doutor Charles ajudando a menina, única sobrevivente de um massacre em sua casa, a ajudar o pessoal da polícia a pegar o verdadeiro culpado.

Foi impossível não pensar em CSI, confesso. Se eu não me engano foi na terceira temporada em que tivemos um caso em que Grisson e equipe investigam uma família toda morta com exceção de duas meninas. Ao final é revelado que o namorado da mais velha tinha executado os crimes porque, na verdade, a caçula era filha dela e o pai tinha abusado da garota quando ela era mais nova e queria agora abusar da mais nova. O choque final foi a revelação de que a mais nova na verdade era filha da adolescente com o próprio pai.

A lembrança viva deste episódio, um dos melhores de CSI, me vez suspirar aliviada quando o roteiro seguiu outra caminho, revelando o passado do pai da família como criminoso, do qual ele havia se redimido, mas do qual não conseguiu escapar.

Apesar de nada inovador, o fato de caso mexer com todos da equipe – por causa da menina, por causa da maneira que a família foi morta – sempre traz algo de único aos episódios de Chicago PD.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Não vi ainda esse episódio, mas revi na semana passada o do CSI. A menininha era feita pela fofa Dakota Fanning.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *