Tempero Secreto: Cemitério Clandestino (1×04)

Vocês conseguem imaginar o que é comer aquela pratada de macarrão instantâneo – sem o envelopinho de sabor – para encerrar o dia? Se isso não prova que a Tita pode contar com Tae-Hun, nada mais provaria!

Sim, neste episódio tivemos novas duplas contracenando e segurando muito bem os ganhos do episódio passado: Conrado e Ítalo precisam “dar um jeitinho” em um cliente bem metido a besta e acabam criando o sal de nuvem, retirado das nuvens que encontram o pico do Kilimanjaro diretamente pelo nosso aventureiro chef de cozinha e entregues pelo Conrado, nossa “peça rara”.

Confesso que até eu me senti um tanto vingada com a peça que os dois pregaram no cara – quem de nós nunca se irritou com alguém metido a sabe tudo que adora humilhar os outros com seu pretenso conhecimento? Tudo bem que Ítalo não fazia ideia de que existe sal do Himalaia. Quem consegue acompanhar as modas gastronômicas hoje em dia?

Tempero Secreto Cemitério Clandestino 1x04 s01e04

Já a Clarice – que não engorda de ruindade, não é possível, tá sempre com um saquinho de besteiras na mão! – queria recuperar o prejuízo da compra do macarrão e pediu que a Tita inventasse alguma receita para sumir com ele. Duvido que ela e o Tae-Hun deem conta de comer tudo depois do plano “enterre no quintal” não deu certo.

Só que eles devem ter uma folga: a chegada do Mendes – mais um maluco – no restaurante deve dar bastante trabalho para a moça.

P.S. O que foi a Clarice achando que a vô havia tatuado a receita do frango no corpo, gente?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *