Psych: The Break Up (8×10)

Se eu já tive dificuldades de me despedir de Cristina Yang vocês acham mesmo que seria fácil eu me despedir de Shawn, Gus, Henry, Lassie, Jules, Woody, Blueberry, Santa Barbara e I Know You Know???

Eu assisti duas vezes ao último episódio. Nas duas eu comecei a chorar exatamente no mesmo ponto:

Psych: The Break Up 8x10 s08e10 henry "he calls" "ele ligou"

E, ainda que o choro não tenha tornado o episódio menos divertido ou perfeito – o que me faz entender menos ainda o que o anterior fez nesta temporada de episódios irretocáveis -, me faz ter uma tremenda dificuldade em falar dele.

Assim como Shawn teve dificuldade em dizer para o Gus que aquele era o último caso deles: como a gente se despede de algo que nos faz tanto bem? Tá, eu sei, ali era pior, afinal eles eram amigos de uma vida toda. Mas não é como se eles fossem nossos amigos de uma vida toda também?

Claro, claro, a dor foi menor ao ver todo mundo ganhando seu minuto especial: Henry finalmente recebendo a ligação do seu filho, e carregando a turma de criminologia da faculdade com ele; Lassie destruindo o CD em que Shawn finalmente fala a verdade, que a esta altura ele não precisava mesmo saber; Woody achando que o filme na verdade era uma chamada de Skype; e Gus tendo o emprego de seus sonhos, com o carro de seus sonhos, para descobrir que os seus sonhos eram diferentes do que ele achava e do quão corajoso ele pode ser seguindo seu amigo. Mesmo que ele tenha feito o retorno várias vezes. Ah, e o que dizer de McNab se tornando detetive após o pior teste para detetive já realizado?

Psych: The Break Up 8x10 s08e10 woody gus lassie mcnab

Ah, sim, não menos importante: o pedido de casamento mais lindo e mais Shawn possível, com direito a roubo de anel?

Psych: The Break Up 8x10 s08e10 shawn jules gus san francisco

Se despedir de Psych se torna difícil justamente por ter sido tão próxima, por realmente ter nos feito acreditar que seus personagens eram nossos amigos de infância. Entre referências de cinema e fazer graça consigo mesmo, nenhum de seus roteiristas esqueceu o quanto os fãs apoiaram a série ao longo dos oito anos e demonstraram isso sempre que possível.

Do outro lado, mesmo sendo difícil, eu prefiro assim. Como foi com Monk: se despedir quando ainda nos divertimos a cada episódio e não quando passamos acompanhar porque “afinal eu assisti a todas as temporadas anteriores”.

Cada episódio desta temporada foi especial porque nos lembrou do porque voltamos todas as semanas e nos fez sorrir e chorar como só bons amigos conseguem.

P.S. Aceito um spinoff com Shawn e Monk na mesma cena de crime. Pode ser um telefilme. Pode acontecer já.

P.S. do P.S. Shawn e Lassie se abraçando??? Nhoooiiimmmmm

P.S. do P.S. do PS. Gus e Compramos um Zoológico: não consigo imaginar um filme mais perfeito para ele.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Val Kimmer? Eu fico imaginando como foi escrever esse roteiro e incluir a participação do ídolo do Shawn como um “detetive nunca visto”.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Psych parte injustiçada: nenhuma indicação ao Emmy ou aos Golden Globes. Ninguém falando dela como a grande série que era. Esquecida em muitas listas das melhores comédias no ar. Uma pena. O bom é que a gente sabe que ela era tudo isso e que mereceria muitos prêmios ao longo de sua história.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. Eu sabia que a demora pela postagem ia valer a pena! Belas palavras, Simone… o fim de Psych fica pau a pau com o de Monk, na minha opinião. O detalhe aqui é que nada é tratado como final… a graça do episódio está no fato de que, mesmo com tudo terminando, ainda termos a sensação de que semana que vêm têm mais um episódio.

    Steve Franks encerrou muito bem o que começou. Cada personagem teve um desfecho mais do que digno. Santa Barbara ficará a salvo nas mãos da Betsy, McNab será a partir de agora o que Jules foi nos três primeiros anos, Lassie não precisa provar mais nada pra ninguém, Chefe Vick e Jules reinventam suas carreiras, Henry larga o trabalho, mas a polícia não sai de seu coração; e Shawn e Gus continuarão fazendo o que sempre fizeram, agora em um cenário diferente.

    Uma imagem que tocou o coração e que você esqueceu de colocar na sua lista de fotos aí é a do Gus olhando pro logo da Psych, Simone… aquilo ali deu um aperto no peito sem tamanho…

    Psych já está fazendo falta. E só está fazendo falta porque cumpriu com extrema competência o seu propósito durante estes oito longos e incríveis anos. Parabéns à todos os responsáveis por horas de alegrias e roteiros inteligentes.

    P.S.: “We Close Our Eyes”, do Oingo Boingo, foi a escolha perfeita para encerrar a série… nada mais justo ter um fade out com uma música dos anos oitenta, né?
    P.S. 2: Surtei ao ver Val Kilmer em tela! É… só faltou o Emilio Estevez mesmo… mas isso é o de menos. Beeem de menos… aliás, esta história do Dobson, policial que o Val interpretou, é longa… não foi um policial inventado agora. Ele sempre era mencionado desde a primeira temporada, e eis que arrumaram a escolha perfeita para dar vida à ele.
    P.S. 3: “Breaking Dad”? HAHAHAHAHAHAHAHAHA…
    P.S. 4: Gus gritando naquela vala… um cadáver não é mais um cadáver se não temos o Gus gritando por perto…
    P.S. 5: Quem diria que linhaça salvaria a vida do Shawn, hein? Tanto no paladar quanto do risco de morrer…
    P.S. 6: Billy Zane? Depois de inúmeras referências à esse cara, (de novo): nada mais justo ter ele como o último vilão da série.

    Responder

      1. Simone, se me permite: esqueci de mencionar que eu também escrevi detalhadamente minha opinião sobre o episódio antes dele ir ao ar nos EUA… caso queiram dar uma olhada, é só clicar no meu nominho aí.

        Responder

    1. assino embaixo de tudo que vc disse Henrick e da Simone

      ri e chorei … é isso que a série fez valer a pena !

      Responder

  2. Demorei para ver o último episódio. Comecei a me emocionar só de ver Shawn gravando o depoimento. E Shawn e Lassie se abraçando, as lágrimas escorreram pela face. Engraçado, comovente, divertido, maravilhoso. Adeus, Psych!

    Responder

Deixe uma resposta